Moto G6 Plus desfoca fundo de retratos, tem 64 GB e calcanhar de Aquiles

Smartphone da Motorola é claramente superior em relação à geração anterior, traz recursos premium a uma nova faixa de preço, mas ainda pode melhorar

access_time 6 dez 2018, 13h14 - Publicado em 25 maio 2018, 16h05

São Paulo – Moto G é a linha de smartphones mais vendida da Motorola e é uma das mais populares no mercado brasileiro. A primeira versão do aparelho foi apresentada em 2013 e está na sua sexta geração.

O Moto G6 chegou recentemente ao Brasil em duas versões, uma delas com tela maior. O produto é visto como uma das principais apostas da Motorola para recuperar o seu lucro dentro de pouco tempo. Confira os resultados do nosso teste do Moto G6 Plus a seguir.

O Moto G6 Plus tem revestimento em vidro e seu design é bem parecido com o do Moto X4, lançado no ano passado.

Sua tela é uma das principais novidades. Com resolução Full HD, ela segue o padrão das tais telas infinitas e adotou uma proporção de tela de 18:9, em vez de 16:9, como era comum no passado. Isso ajudou a deixar a parte frontal com foco total no conteúdo e até deixou o sensor de impressões digitais espremidinho ali embaixo. Apesar de ser pequeno e ter formato pouco convencional, esse leitor biométrico funciona muito para desbloquear a tela rapidamente.

Apesar de a câmera do Moto G6 Plus ter um módulo proeminente, o aparelho não é compatível com a linha de acessórios Moto Snaps, como acontece com o Moto Z2 Play. Se você olhar bem, logo nota que a câmera do smartphone é dupla. Isso permite retratos com fundo desfocado. Esse recurso é bacana porque é algo muito voltado aos celulares mais sofisticados. Porém, nem sempre os resultados serão perfeitos.

Em situações de pouca luz, o smartphone se dá porque uma das suas câmeras tem abertura de f./1.7, o que ajuda a captura bastante luz.

A câmera frontal está dentro da média e ser para tirar selfies no dia a dia, desde que haja bastante luz, porque a abertura não favorece fotos com pouca luz.

A bateria do Moto G6 Plus, pode-se dizer, é seu calcanhar de Aquiles.

O produto é muito bom em vários aspectos e consegue trazer recursos de smartphones topo de linha a uma faixa de preço mais baixa.

Mas ele também herdou dos aparelhos mais caros a baixa autonomia de uso.

Em nossos testes, foram 6 horas de duração de bateria sob condições de uso intenso.

Pagando um pouco mais, você consegue comprar o Moto Z2 Play, que é um dos recordistas em termos de duração de bateria, ou mesmo um Galaxy A8, que também se sai bem nesse ponto.

O Moto G6 Plus é um smartphone interessante e traz uma gama de recursos premium para um smartphone de 1.500 reais. Alguns exemplos são características de hardware, como 64 GB de armazenamento e o processador Snapdragon 630.

Ainda assim, ele é mais indicado para quem procura um smartphone com boas câmeras e tela grande. Ele rivaliza com o Galaxy A8 e mesmo com o LG G6, que teve uma grande queda de preço.

Veja também
Notícias sobre
Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s