Zuckerberg é criticado realizar “tour virtual” por Porto Rico

Com um tom jovial e as ruas inundadas da ilha ao fundo, Zuckerberg informou que ele e a colega não estavam no mesmo edifício naquele momento

Nova York – O criador do Facebook, Mark Zuckerberg, foi criticado nesta terça-feira por ter realizado um “tour virtual” por Porto Rico, devastado após a passagem pelo furacão Maria, para promover uma ferramenta de realidade virtual de sua rede social.

A “viagem” foi transmitida ao vivo em um vídeo de 360 graus. O avatar de Zuckerberg estava acompanhado da diretora de realidade virtual de Facebook, Rachel Franklin.

“Uma das coisas realmente mágicas da realidade virtual é que você pode sentir que está realmente no lugar”, disse Franklin.

Com um tom jovial e as ruas inundadas da ilha ao fundo, Zuckerberg informou que ele e a colega não estavam no mesmo edifício naquele momento, mas, através da ferramenta Spaces, os dois podiam “estabelecer contato visual”.

Zuckerberg passou então a comentar os esforços do Facebook para contribuir com a situação emergencial de Porto Rico. O fundador da rede social citou uma doação de US$ 1,5 milhão, e uma colaboração com a Cruz Vermelha para elaborar mapas com os locais que mais precisam de ajuda.

Jornais locais e vários usuários do Facebook criticaram Zuckerberg ao afirmar que o “tour” representou uma “falta de sensibilidade” com a situação vivida por Porto Rico.

O criador do Facebook usou os comentários do vídeo para responder às críticas e disse que uma das características mais “potentes” da realidade virtual é a “empatia”. No entanto, Zuckerberg pediu desculpas àqueles que se sentiram ofendidos.

“Meu objetivo era mostrar como a realidade virtual pode gerar conscientização e nos ajudar a ver o que está ocorrendo em diferentes partes do mundo. Também queria compartilhar a notícia da nossa colaboração com a Cruz Vermelha”, explicou.

“Lendo alguns comentários, me dei conta de que isso não estava claro e peço desculpas a quem tenha se sentido ofendido”, concluiu Zuckerberg.