Vazamento de água contaminada é detectada em Fukushima

Estima-se que o líquido continha cerca de 23 becquerels de estrôncio por litro

O operador da usina nuclear de Fukushima detectou sete brechas em uma barreira de contenção no exterior das instalações, o que provocou um vazamento de 19,2 toneladas de líquido radioativo para o solo.

A barreira é uma das 30 que foram construídas para cercar as áreas onde ficam os tanques que armazenam a água usada para esfriar os reatores afetados pelo terremoto e tsunami de março de 2011, e que se contamina ao entrar em contato com os núcleos fundidos.

Muitos dos contêineres que guardam a água foram construídos com pressa com materiais mais fracos quando a crise começou, por isso que a Tokyo Electric Power (Tepco), operadora da usina, deve vigiar de perto os vazamentos de líquido enquanto constrói tanques novos de substituição.

Estima-se que o líquido continha cerca de 23 becquerels de estrôncio por litro e, apesar de não ter ido parar no mar, seu nível radioativo é mais do que o dobro em relação ao que se considera seguro para sua descarga no solo.

A Tepco já trabalha para realizar novas soldas e reparar as brechas.