União Europeia acusa formalmente Google por suposto monopólio

Caso seja condenada, empresa de tecnologia pode ser multada em 10% de seu faturamento anual

A União Europeia acusou formalmente o Google de práticas monopolistas de ilegais, afirmando que a empresa abusou de sua posição de líder do mercado ao priorizar seus próprios serviços nos resultados de busca, afastando usuários de seus concorrentes.

A empresa pode ser multada em 10% de seu faturamento anual, que atualmente seria equivalente a 6 bilhões de dólares (18 bilhões de reais).

“A empresa concedeu uma vantagem desleal a seu próprio serviço de comparação de preços, uma violação às leis antitruste da União Europeia”, disse Margrethe Vestager, comissária de competição econômica da União Europeia.

“O Google agora tem a chance de convencer a Comissão do contrário. Porém, se a investigação confirmar nossas suspeitas, o Google terá de encarar as consequências legais e mudar a forma como faz negócios na Europa”, afirmou Vestager.

A União Europeia acusa o Google de uma série de práticas de concorrência desleal, como promover seu serviço de compras e rebaixar serviços rivais nos resultados de busca.

Vestager afirma que as acusações não são uma retaliação aos Estados Unidos. A comissária afirma que uma de cada quatro empresas que denunciaram o Google eram americanas. “Não queremos mudar o design dos sites ou em como o algoritmo funciona. Queremos que os consumidores tenham certeza de que estão tendo os melhores resultados de comparação de preços”.

Em resposta às acusações, o Google publicou um post mostrando situações nas quais fracassou no lançamento de novos produtos. A empresa menciona o próprio serviço de comparação de preços, que não conseguiu superar o domínio da Amazon no mercado.