Ultra alta definição levará dez anos para se massificar

Diretor sênior de consumer electronics & video technology da consultoria IHS, Tom Morrod, prevê que primeiros ecossistemas em UHD comecem a funcionar em 2017

Cannes – Os esforços de fabricantes e emissoras em promover a ultra alta definição (UHD) em 4K e posteriormente 8K deve render frutos em meados de 2023, segundo levantamento da empresa de pesquisas e consultoria IHS.

Segundo o diretor sênior de consumer electronics & video technology da empresa, Tom Morrod, assim como a transição do SD para o HD levou cerca de vinte anos, o UHD também precisa de tempo para amadurecer.

Mesmo assim, diz, não terá o mesmo grau de adoção. “O UHD é melhor para alguns gêneros, como esportes, filmes e documentários, então não teremos tantos canais UHD quanto temos em HD. Também, só funciona em telas grandes, então o mercado de TVs vendidas também será mais restrito”, disse, durante apresentação no MipTV, em Cannes.

O lançamento destes canais, no entanto, se dará mais rapidamente do que foi com o HD, porque este teve que esperar alguns anos até a criação e massificação da tecnologia MPEG-4, diz.

Morrod prevê que os primeiros ecossistemas em UHD comecem a funcionar em 2017, com algum volume de canais e TVs disponíveis, e operadoras transmitindo.

Mas a massificação deve chegar apenas no início dos anos 2020. “Para 2025 esperamos haver cerca de 600 canais UHD, e 47% do total de novos aparelhos de TV com a tecnologia”, disse.