Twitter suspende 100 mil contas em busca de ambiente pacífico

Rede social aumenta esforços para remoção de conteúdos abusivos e tenta impedir que usuários banidos retornem à plataforma

São Paulo – O Twitter informou que suspendeu 100 mil contas de usuários que criaram novos perfis após terem sido banidos no período entre os meses de janeiro e março de 2019. O número é 45% maior do que o de contas suspensas no mesmo período em 2018.

“Antes, analisávamos apenas tuítes potencialmente abusivos se eles fossem denunciados a nós pelos usuários da mídia social. Sabemos que isso não é aceitável. Então, no início do ano, nós tomamos como prioridade adotar uma abordagem proativa contra o abuso, além de confiar nos relatos das pessoas”, informou o Twitter, que, agora, diz conseguir marcar como abusivos 38% dos tuítes, sem precisar depender de denúncias.

A rede social reportou ainda que três vezes mais contas abusivas foram suspensas – em relação ao mesmo período no ano passado –  em 24 horas depois de um relato de usuário.

As medidas que a empresa tomou no primeiro trimestre deste ano visam a construção de um ambiente digital mais saudável e livre de conteúdos abusivos na rede social.

Ainda neste ano, a companhia diz que vai continuar a aperfeiçoar a detecção automática de tuítes abusivos – trabalho feito por uma equipe própria do Twitter –, mudar suas regras de uso para restringir mais tais conteúdos, dar mais opções de detalhamento de denúncias e ainda trazer novos recursos de moderação de tuítes para os usuários, como, por exemplo, a capacidade de ocultar respostas a tuítes.