Twitter adota novo modelo para controle de patentes

Empresa transfere para engenheiros e designers o controle sobre inovações desenvolvidas

São Paulo – O Twitter anunciou a adoção de uma nova política de regimento de patentes entre a empresa e seus funcionários.

Por meio do novo regulamento, chamado Innovator’s Patent Agreement (Acordo Inovador de Patentes, em tradução livre), o Twitter transfere para engenheiros e designers o controle sobre inovações desenvolvidas por eles dentro da empresa.

“Nós pensamos muito sobre como essas patentes podem ser utilizadas no futuro; preocupamos-nos para que elas não sejam usadas a fim de evitar a inovação”, afirmou a empresa em texto publicado em seu blog.

Por meio do IPA, o Twitter se compromete a não processar outras empresas caso o funcionário aplique a inovação em um concorrente. De acordo com o Twitter, as patentes somente serão usadas para fins defensivos (caso outra empresa acione o Twitter na Justiça).

De acordo com o Twitter, o acordo será implantado ainda este ano e valerá também para inovações já desenvolvidas. O Twitter espera estender o modelo para outras empresas.

De forma geral, as empresas possuem controle total em relação às inovações desenvolvidas por seus funcionários durante o expediente, inclusive podendo vender as patentes para concorrentes.

A briga por patentes tem sido um dos principais tópicos do mercado de tecnologia nos últimos tempos. Nesta semana, a Justiça dos Estados Unidos começou a julgar uma ação da Oracle contra o Google pelo Android que deve durar oito meses.

Apple e Samsung também travam diversas brigas em fóruns de todo o mundo por registros de inovações em smartphones e tablets.

Apesar disso, quem mais criou patentes em 2011 foi a IBM, com 6 180 registros. Samsung, Canon, Panasonic e Toshiba completam o time das cinco primeiras.