Tráfego da Netflix caiu em 10% por causa da Olimpíada

Mesmo com essa queda, a cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos do Rio ainda não conseguiu tirar mais tráfego da Netflix do que a de Londres

São Paulo – As pessoas deixaram de assistir à Netflix para ver os Jogos Olímpicos. O tráfego do serviço de streaming caiu em 10% em várias redes de banda larga dos EUA no primeiro final de semana da Olimpíada. A razão disso é óbvia: bilhões de pessoas em todo o planeta sintonizaram em canais de TV para assistir ao evento.

Os dados foram medidos pela Procera Networks e publicados pela Variety. A empresa, que vende equipamentos de gerenciamento de banda larga para provedores de internet, comparou o consumo de banda larga da Netflix com o tráfego médio dos últimos quatro dias das redes de quatro grandes fornecedores.

Mesmo com essa queda de 10%, a cerimônia de abertura do Rio ainda não conseguiu tirar mais tráfego da Netflix do que a de Londres. Na época, o serviço de streaming caiu quase 25% em algumas redes de internet, segundo o estudo da Procera.

Em comparação, a NBC emitiu 155 milhões de minutos de transmissões ao vivo no sábado, segundo dia da Olimpíada do Rio. O número é 263% maior do que o registro no mesmo dia dos Jogos Olímpicos de Londres em 2012 (11,3 milhões de minutos).

Apesar de frustrante, o resultado já era esperado pela Netflix. A empresa espera adicionar 300 mil assinantes nos EUA e 2,3 milhões internacionalmente no primeiro trimestre. “Nossa previsão de associação global para o Q3 inclui um impacto do espetáculo dos Jogos Olímpicos, a par com o que ocorreu quatro anos atrás”, disse a Netflix na sua carta aos acionistas.

Afinal, quem quer ver Netflix quando você pode ver o maior evento esportivo do mundo?