Tim Cook é eleito personalidade do ano pelo Financial Times

Durante sua gestão, empresa atingiu valor de mercado de 700 bilhões de dólares

Tim Cook, CEO da Apple, foi eleito a personalidade do ano pelo jornal de economia e negócios Financial Times.

No último trimestre, as vendas dos iPhones chegaram a 42 bilhões de dólares. Além do sucesso dos aparelhos, Cook também tomou medidas que se refletiram em uma valorização nas ações da Apple.

Em feveiro deste ano, o CEO foi questionado por acionistas da empresa quanto as suas iniciativas sustentáveis. Cook respondeu que a Apple não visa somente o retorno financeiro, mas também busca fazer as coisas certas no momento adequado. Segundo o jornal, o CEO também tenta manter a gestão da companhia distante da influência de acionistas.

Ao longo de 2014, as ações da Apple tiveram valorização de 50% e fizeram com que a companhia atingisse o valor de mercado recorde: 700 bilhões de dólares. 

Neste ano, a Apple entrou no mercado de pagamentos móveis com o Apple Pay e, para isso, fez diversas parcerias de mercado. 

Fora isso, no final de outubro, Cook se declarou publicamente gay, uma escolha que não foi fácil para ele que gosta de preservar sua privacidade.

“Se o fato do presidente da Apple ser gay puder ajudar alguém a entender quem ela ou ele é, ou trazer conforto para qualquer um que se sinta sozinho, ou inspirar pessoas a lutar por igualidade, então acho que vale a pena sacrificar minha própria privacidade”, afirmou Cook à época.