Thrustmaster T500 RS

logo-infolab

Há muito tempo os fabricantes de video game procuram formas de simular os nossos sonhos de motorista. Nesse ínterim, bizarrices como o console triangular Coleco Telstar Arcade de alguma forma encontraram espaço no mercado. Décadas mais tarde, a fabricante de controles Thrustmaster lança um volante que não tem nada de bizarro. Muito pelo contrário: graças ao T500 RS, o Gran Turismo 5 nunca foi tão realista. O único problema grave desse volante é que o preço também é um choque de realidade: por quase 2 mil reais, ele custa mais que o dobro do preço de um PlayStation 3 de 160 GB.

É preciso sentir o peso de mais de 15 kg do volante para ter uma dimensão da qualidade desse produto. Aliás, os interessados devem preparar uma mesa bem rígida para abrigar esse monstro. Não estamos falando de um brinquedo que pode ser usado na cama ou no sofá e, a fim de evitar acidentes, certamente não aconselhamos ninguém a tentar segurá-lo no colo. Os pedais não são menos sólidos. Com efeito, a estrutura toda é feita de metal, de tal forma que nem o motorista mais entusiasmado precisa se controlar para não quebrar o acelerador.

A qualidade da construção é, sem dúvida, admirável. Mas legal mesmo são os componentes internos. Enquanto boa parte dos volantes de video game usa um sistema de imãs para manter o aro na posição correta, o 500T RS não tem nada menos que um motor dentro de si. A consequência disso é que a resistência do volante pode ser adaptada de acordo com o terreno e o carro que está sendo utilizado. Um Aston Martin moderno, por exemplo, torna a direção muito mais pesada do que o clássico Subaru 360. O exemplo foi extremo, mas o 500T RS também é capaz de simular diferenças sutis entre os vários carros. Controlar um Ford GT-40 imediatamente depois de uma batida é uma tarefa quase impossível: para tanto, seria preciso brigar com um motor de 65 watts e torque de 0.15 Nm.

A experiência da Thrustmaster com simuladores de voo fica evidente na precisão com que o controle reconhece o movimento do aro. Por algum motivo esotérico, o marketing da Thrustmaster fez um contorcionismo ortográfico para batizar o sistema de sensores que o 500T RS utiliza de “H. E. A. R. T.”. Qualquer que seja a razão por trás do nome, esse “coração” denomina um conjunto de sensores de movimento que, por serem magnéticos, não sofrem com a perda de sensibilidade que a fricção poderia causar. Outra qualidade notável do volante é o fato de que o aro tem uma rotação de até 1080 graus (3 giros completos), o que aproxima ainda mais o controle de um volante real.

O sistema de controle dos pedais não é tão sofisticado, mas não deixa de ser sensível o suficiente para manter a imersão do jogador. Pedal e volante são ligados por uma conexão proprietária similar à utilizada por cabos de rede. Uma USB liga o 500T RS ao PlayStation ou ao computador, mas outros eletrônicos, como o Xbox, não reconhecem o controle.

Vídeo

http://videos.abril.com.br/info/id/2c9f94b433f0f7ea0133f51159fb04a4

Por enquanto, o Gran Turismo 5 e, em menor grau, o iRacing são os únicos jogos que utilizam todo o potencial do 500T RS. Outros games não aceitam a interferência do motor interno ou simplesmente não reconhecem parte dos controles. Além disso, vale lembrar que para que o volante funcione no PC é preciso baixar antes os drivers disponíveis no site da Thrustmaster. O 500T RS também possui os controles tradicionais do PlayStation (direcional, botões de ação, etc.) para facilitar a navegação pelos menus do console. No entanto, não espere usar o volante como substituto do DualShock para outros jogos, pois a disposição dos botões não é muito confortável.

Não há dúvidas de que o 500T RS é um tremendo acessório para o PlayStation, mas há uma questão que, apesar de puramente cosmética, precisa ser levantada. Se esse volante foi projetado com a série Gran Turismo em mente, por que parte dos controles remete à Fórmula 1? Sim, existem carros de Fórmula 1 no Gran Turismo, mas o foco do jogo sempre foi o GT, como o próprio nome indica. No entanto, o câmbio do 500T RS dispensa a alavanca tradicional para ocupar a traseira do volante, como na Fórmula 1. Além disso, os pedais vêm por padrão na orientação típica dos carros de Fórmula 1. É verdade que o segundo ponto não é tão problemático porque a Thrustmaster oferece uma alternativa: é possível mudar a pedaleira para que ela assuma uma orientação similar à do GT. Contudo esse processo exige que a base seja desparafusada. Um controle tão caro deveria possuir uma interface mais especializada do que essa.

Ficha técnica

Compatibilidade PlayStation 3
Conexões USB
Peso 16,5 kg

Avaliação técnica

Prós Motor interno potente; acabamento impecável; controle preciso e convincente;
Contras Preço elevado;
Conclusão O 500T RS só é realmente interessante para quem é apaixonado pelo Gran Turismo, mas, se você é um fã da série, há poucos modos mais emocionantes de pilotar os seus carros virtuais;
Média 8.5
Preço R$ 1999