Surto de cólera no Sudão do Sul já tem 296 novos casos e 7 mortes

O órgão informou à Agência Efe por telefone que todos as vítimas são menores de idade e que a maioria dos casos foi registrado na região de Wau Shilluk

As autoridades sul-sudanesas registraram 296 novos casos de cólera nos últimos três dias, com sete mortes, no estado do Nilo Alto (nordeste do país), informou nesta sexta-feira o Ministério da Saúde do país.

O órgão informou à Agência Efe por telefone que todos as vítimas são menores de idade e que a maioria dos casos foi registrado na região de Wau Shilluk. Além disso, 169 afetados já foram liberados do hospital, após receber tratamento adequado.

A organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) indicou em 7 de junho que, pelo menos, 29 pessoas morreram nos primeiros dias desse mês, e que 1.306 eram tratadas pela epidemia de cólera detectada em Juba em maio.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), este surto de cólera no Sudão do Sul pode ser definido como “epidêmico”. Mais de 1.300.000 pessoas vivem em todo o território sem água potável para consumo, sem moradia digna e sem serviços de saneamento básicos, o que aumenta o risco de epidemias de todo tipo.

O Sudão do Sul está imerso desde dezembro do ano passado em um conflito interno que o pôs à beira da guerra civil e que causou a morte de milhares de pessoas e o deslocamento de seus lares de mais de um milhão de habitantes.