Sony A77

logo-infolab

A câmera semiprofissional da Sony foi feita para amantes da fotografia que não têm tanto conhecimento para operar uma profissional, mas conseguem utilizar alguns recursos mais técnicos e não dispensam a ajuda do modo automático em algumas ocasiões.

Os modos de exibição disponíveis pela A77 são PASM, Auto (controla praticamente todos os aspectos da imagem), Auto+ (analisa a cena e define o tipo mais adequado de configuração), Panorama e Panorama 3D e Cenas (igual a câmeras compactas, traz ajustes pré-definidos: Retrato, Esporte, Macro, Paisagem, Pôr do sol, Cena noturna, Crepúsculo sem tripé e Retrato noturno). Também há a função Memory Recall (MR), que recupera um preset anterior (como ISO, abertura, tempo de exposição, etc).

A qualidade da imagem fica próxima à de uma Nikon D5100, ou seja, um pouco abaixo de outras DSLR, mas sem decepcionar. A resolução é boa, de 24,3 MP. O tamanho do sensor, 23,5 por 15,6 milímetros, é o mesmo da D5100 (e da D7000, um modelo mais avançado), mas a qualidade não é tão boa e compromete as fotos em valores muito altos de ISO. Mesmo assim, não é uma câmera ruim: os problemas se devem à aberração cromática, presente principalmente nos tons magenta, e as distorções no foco periférico.

A sensibilidade do ISO vai de 50 a 16.000. O ruído é bastante visível a partir de 640, mas ainda não chega a incomodar; isso ocorre a partir de 2500. Ainda assim, as fotos com exposição maior não chegam a ser dispensáveis. Veja a comparação a seguir de fotos de estúdio com ISO 100, 800, 6400 e 16000:

Um destaque da A77 é a velocidade: ela chega a fazer 12 frames por segundo em disparo contínuo, alcançando o posto de DSLR mais rápida que o INFOLab já testou, o que a torna uma ótima câmera para captar cenas em movimento. Isso ocorre graças à tecnologia do espelho translúcido, que faz com que a luz seja direcionada para o sistema de foco e para o sensor igualmente, o que agiliza tanto o disparo quanto o foco.

Falando em movimento, ela também surpreende na captação de vídeos. Filma em Full HD (1080p) a 60 fps, uma taxa bem maior que a da concorrência. Os formatos gravados são MPEG-4 ou AVCHD. O som é estéreo e também há uma entrada para microfone.

Quanto à conectividade, ela tem um slot para cartão que comporta a maioria dos formatos (SD, SDHC, SDXC, MS PRO Duo e MS Pro-HG DUO), uma miniHDMI, uma miniUSB 2.0, e, além da entrada para microfone, também tem uma para conexão com o PC e entrada para o carregador externo. Além disso, o GPS integrado permite a função de geotag, que é outro atrativo.

O visor de LCD mede 3” e roda em 90 graus na vertical e na horizontal e 180 graus em sentido anti-horário e horário. O visor ocular também é digital: uma tela OLED com resolução de 2,4 MP e 0,5” que apresenta uma excelente fidelidade à cena, mas, ainda assim, pode desagradar quem está acostumado com o visor normal, pois a imagem exibida é resultado do processamento do visor CMOS.

O visor ocular, aliás, também exibe o menu e todas as opções, assim como o visor de LCD, além de permitir a visualização das fotos. O menu vem em português e não apresenta dificuldades, sendo dispensável o uso do manual para entender cada função. A própria câmera é bem fácil de operar e tem botões bem localizados. Além disso, é possível mudar a função de seis deles, personalizando-os de acordo com a necessidade. A A77 também é leve (1,316 gramas) e tem uma boa pegada, podendo ser operada com uma mão sem problemas.

Ficha técnica

Pixels efetivos 24,3 MP
Disparo contínuo 12 fps
Peso 1316 g
Dimensões 12,1 x 9 x 8,5 cm
Sensor 23.5 x 15.6 mm
Visor ocular OLED

Avaliação técnica

Prós DSLR mais rápida já testada no INFOlab; lente padrão de distância focal mínima baixa (16-50 mm); leve; relativamente fácil de operar; display móvel;
Contras EVF; imagens às vezes são prejudicadas por aberrações cromáticas
Conclusão Com bons ajustes automáticos, é uma boa câmera para quem fotografa por hobby
Imagem 8,4
Velocidade 8,5
Objetiva 8,6
Visor 8,6
Recursos 8,8
Design 8,0
Média 8.0
Preço R$ 3999