Sobe para 32 o número de mortos no acidente aéreo em Taiwan

A aeronave da TransAsia caiu em um rio após perder altura por causas desconhecidas

O número de mortos no acidente de um avião da companhia taiwanesa TransAsia nesta quarta-feira (4) em Taipé subiu para 32, enquanto 15 pessoas ficaram feridas e 12 permanecem desaparecidas, informou nesta quinta-feira (5) o Corpo de Bombeiros, que acrescentou que as equipes de resgate e salvamento continuam com as buscas.

As operações de resgate continuaram durante toda a noite, com a participação de 20 efetivos e 40 mergulhadores. Os corpos do piloto Liao Chien-tsung, do copiloto Liu Tzu-chung e do engenheiro de voo Hung Ping-chung, foram encontrados por volta da meia-noite. Além disso, os restos mortais de outra vítima foram retirados do rio logo após o amanhecer.

O Conselho de Segurança Aérea de Taiwan anunciou hoje que especialistas chineses participarão das investigações do acidente, já que 31 passageiros eram chineses. Deles, apenas três estão na lista de sobreviventes.

A TransAsia revelou que um dos motores do avião, que passou por revisão em janeiro deste ano, foi modificado em Macau pela empresa canadense Pratt & Whitney, antes de ser recebido em Taiwan no dia 14 de abril de 2014.

Internautas em Taiwan estão rendendo homenagens ao piloto do avião, ao considerá-lo um herói por ter evitado que o avião caísse em uma zona urbana e por ter conseguido chegar até o rio Jilong.

A aeronave – com 58 pessoas a bordo, entre elas cinco tripulantes e duas crianças – caiu no rio, após perder altura por causas desconhecidas e se chocar contra um viaduto, poucos minutos depois de decolar do aeroporto de Taipé com destino à ilha de Kinmen, a poucos quilômetros do litoral da China.

A Administração de Aviação Civil de Taiwan proibiu a TransAsia de realizar voos com aeronaves do tipo acidentado hoje e a companhia aérea começou a revisar os motores de todas as suas aeronaves ATR, disse o presidente da companhia, Paul Chen, em entrevista coletiva.

As duas caixas-pretas – a registradora de dados de voo e a gravadora de voz da cabine – foram recuperadas e serão analisadas para estabelecer as causas do acidente, indicou a Administração de Aviação Civil da ilha.

Até o momento, se desconhecem os motivos do acidente, ocorrido em uma área urbana, sob condições meteorológicas favoráveis, com um avião fabricado há menos de um ano e sob o comando de um piloto com mais de 4.900 horas de voo.

O piloto fez três chamadas de socorro para a torre de controle do aeroporto Songshan. O avião, ao invés de girar imediatamente para a direção sul após decolar, voou em linha reta e perdeu altura até atingir o elevado, resvalar em um táxi e, em seguida, cair no rio.

Segundo testemunhas, o piloto tentou recuperar altitude antes do choque do avião com o viaduto. O rio Jilong fica a apenas cinco quilômetros da pista de decolagem.

A aeronave, um bimotor turboélice ATR-72 de fabricação franco-italiana, tinha menos de um ano e havia passado por sua última revisão no dia 26 de janeiro, segundo a Aviação Civil Aeronáutica.

A fabricante lamentou o acidente com uma de suas aeronaves e expressou suas condolências aos familiares das vítimas.

Trata-se do segundo acidente envolvendo essa companhia aérea taiwanesa em menos de um ano, depois que 48 pessoas morreram em julho do ano passado na queda de um avião do mesmo modelo.

Naquela ocasião, a aeronave se acidentou quando precisou realizar um pouso de emergência nas ilhas Penghu por causa das más condições atmosféricas devido à passagem do tufão “Matmo”.