Site que vende bitcoins trava cadastros de novos usuários

Empresa relata problemas com aumento de demanda e usuários não conseguem usar o serviço

São Paulo – O site da Foxbit, que se autointitula “a maior bolsa de bitcoins da América Latina”–a rival Mercado Bitcoin também se define de forma semelhante–, travou o cadastro de novos usuários interessados em comprar e vender a criptomoeda até 8 de janeiro.

Ao tentar verificar a conta, processo necessário para fazer transações em bitcoins no site, uma mensagem é exibida: devido a um aumento de 500% na quantidade de cadastros, a autenticação de usuários está indisponível.

Foxbit-aviso

 (Site EXAME/Foxbit/Reprodução)

Antes, o processo de verificação levava sete dias úteis. Era preciso informar uma série de dados pessoais, enviar uma foto do RG ou da CNH e uma fotografia sua com o documento em mãos.

Atrasos em pagamentos

Há também casos como o de Felipe Silva*, que fez um depósito de 13 mil reais na sua conta na Foxbit em 8 de dezembro e o valor ainda não consta como disponível para a compra de bitcoins. “Até agora o dinheiro não caiu na nossa conta (interna) da FoxBit. Todos nossos pedidos de ajuda resultaram em respostas semi-automáticas, do tipo copia e cola. Ou nem leram nosso pedido, ou estão ignorando”, afirmou Silva ao Site EXAME.

Em uma mensagem automática enviada por e-mail pela Foxbit, a companhia informa que o prazo para saques e depósitos é de três dias úteis.

Como funciona

Atualmente, o bitcoin vale mais de 18 mil dólares, e os usuários podem escolher comprar uma fração dessa criptomoeda por qualquer valor.

O depósito de valores para a compra de bitcoins na plataforma Foxbit é grátis, mas a retirada tem taxa de 1,39% e o saque para bancos não conveniados tem uma taxa adicional de 8,95 reais.

Alta demanda

De acordo com um vídeo publicado no YouTube no mês passado, João Canhada, CEO da foxbit, diz que mais de 200 mil pessoas se cadastraram no site. O número de depósitos também aumentou, passando de 3 mil por dia para 6 mil. No mesmo vídeo, ele diz que as pessoas não perderam o dinheiro enviado ou solicitado para depósito, “é só uma questão de tempo” até tudo se normalizar, segundo o CEO.

O site da empresa informa que a verificação de documentos é importante para evitar fraudes e lavagem de dinheiro com bitcoins.

O Site EXAME entrou em contato com a equipe da Foxbit, mas não obteve resposta até a publicação da reportagem. Assim como os clientes da companhia, recebemos apenas respostas automáticas.

Vale notar que a rival, Mercado Bitcoin, também registra atrasos nos prazos informados no seu site oficial, mas deixa isso nítido em sua interface.

*Nome fictício.

Atualização: O CEO da Foxbit, João Canhada, entrou em contato com a redação e informou o seguinte:

“Basicamente estamos sobrecarregados, o volume aumentou 700% em 10 dias, é igual uma Black Friday que os lojistas se preparam o ano todo pra tal só que estamos vivenciando isso diariamente, exchanges de bitcoin do mundo todo estão interrompendo novos cadastros e devemos seguir nessa linha também trabalhando com sistema de fila para novos clientes e liberando novos cadastros conforme normaliza os atrasos. Para se ter uma ideia, estávamos com média de 1.000 clientes por dia e na primeira semana de dezembro após uma explosão de matérias na mídia sobre o tema chegamos a ter 45 mil novos clientes em apenas 3 dias. A empresa está bem, estamos tendo o melhor momento de nossas vidas, mas isso, na velocidade que está sendo, gera dores, abrimos vagas e adicionamos 10 novos colaboradores essa semana. Ainda temos 30 posições em aberto.”

O CEO não informou se vai pagar juros pela retenção dos valores transacionados na Foxbit nem quando a operação será totalmente normalizada.

Atualização 2: Em nota enviada ao Site EXAME pela assessoria de imprensa da Foxbit, a empresa informa que o volume de transações diárias passou de 20 milhões de reais para 120 milhões de reais. Mais de 1.400 pessoas se cadastram por dia na plataforma. Por conta disso, a companhia diz trabalhar com prazos de 24 horas para aprovações de depósitos e 36 horas para saques, “devido aos bancos não oferecerem soluções de integração ou até mesmo dificultarem o acesso a essas operações”, diz a nota. A empresa afirma ainda que quem tem atrasos superiores a esses período são exceções por transferências acima do limite ou em dinheiro. A Foxbit informa também que vai aumentar seu quadro de funcionários para atender à alta demanda dos clientes.

Veja também