Sistema de ultrassom cria objetos holográficos que podem ser tocados

O aparelho de resposta háptica cria formas flutuantes em 3D que podem ser vistas e sentidas no ar

Os aparelhos com sistema de resposta háptica se tornaram comuns nos últimos anos, como videogames, smartwatches e tablets. Mas eles sempre utilizam o estimulo de partes do corpo do usuário por vibração acústica ou mecânica – toda vez que o controle do Wii treme ao encontrar um objeto na tela, por exemplo.

Mas uma nova técnica desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Bristol promete modificar esse cenário, ao utilizar uma projeção de ultrassom que cria formas flutuantes em 3D que podem ser vistas e sentidas.

Os cientistas usaram uma série de amplificadores ultrassônicos para criar estruturas chamadas de “padrões compostos de ultrassom”, modelando o ar no qual ele é dirigido.

Para tornar essas formas visíveis, o ar manipulado é direcionado para uma camada fina de óleo e uma lâmpada é usada para iluminar a estrutura.

De acordo com os pesquisadores, o resultado éum sistema que produz formas precisas e identificáveis, fazendo com que seus usuários relacionem a imagem de um objeto em três dimensões à imagem renderizada pelo sistema de ultrassom.

“Hologramas sensíveis ao toque, realidade virtual imersiva, controles que podem ser sentidos: todos eles são usos possíveis para esse sistema”, afirma Ben Long, pesquisador da Universidade de Bristol que participou do estudo.

“No futuro, as pessoas poderão sentir hologramas de objetos que de outra forma não seriam táteis, percebendo diferenças entre texturas em uma tomografia ou entender as formas de artefatos em um museu”, diz Long.

Os cientistas acreditam que essa nova tecnologia pode revolucionar a forma como a resposta háptica é utilizada em diversos campos.

Um exemplo é área médica, na qual um cirurgião poderia sentir uma tomografia para verificar irregularidades e identificar tumores ou doenças.

Assista ao vídeo de demonstração do sistema:

//www.youtube.com/embed/kaoO5cY1aHk