Sistema Cantareira tem pior nível de água em 10 anos

O maior e principal reservatório para o abastecimento de água da cidade de São Paulo registrou 29,9% de armazenamento nesta terça-feira

O Sistema Cantareira, maior e principal reservatório para o abastecimento de água da cidade de São Paulo, registrou 29,9% de armazenamento nesta terça-feira, 17. O volume é o mais baixo dos últimos dez anos – em 2004, o nível chegou a 29,8%. Para se ter uma ideia, em 2011 o armazenamento estava em 69% na mesma época.

Segundo a Climatempo, são dois os principais motivos para a escassez: o consumo de água, que aumenta nesta época por causa do calor, e a falta de chuvas. A média de chuva na região para dezembro é de aproximadamente 227 milímetros, mas até o dia de 16 só havia chovido 44 mm.

O meteorologista César Soares, da Climatempo, diz que há um período de transição. “A primavera marca o começo das chuvas, que se intensificam no verão”, explica.

“Este dezembro de 2013, por sua vez, está bastante abaixo do esperado e já estamos no meio do mês. É bem possível que a gente feche o mês com chuva abaixo da media climatológica.”

A Climatempo faz uma recomendação. “Estamos apenas começando o período chuvoso normal na região da Grande São Paulo e ainda há tempo para recuperação. Mas, se o espírito de economizar água precisa ser lembrando sempre, agora muito mais, pois as reservas estão baixas.”

A Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) informou, no entanto, que o volume de água armazenado no Sistema Cantareira está sendo bem gerenciado e não oferece risco de desabastecimento à população. “O volume atual é de 29,9% e tende a aumentar, já que estamos em época de chuvas, período que vai até abril de 2014.”

A Sabesp também ressaltou a importância de economizar água em qualquer época do ano.

Previsão

Na sexta-feira, a cidade de São Paulo tem previsão de pancadas de chuva à tarde. No fim de semana, as precipitações devem se estender para todo o Estado, amenizando a situação das reservas de água. As chuvas também vão se estender pela semana do Natal. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.