Samsung Galaxy K Zoom

logo-infolab

O Samsung Galaxy K Zoom é um smartphone com claro apelo para fotografias. Capaz de registrar imagens com 20,7MP, o aparelho é uma evolução do S4 Zoom, lançado no ano passado. As melhorias desta nova edição transformam o produto em um smartphone mais potente, tirando a impressão de estar usando uma câmera com um celular, em termos de desempenho. Já no quesito design, nem tanto. Isso porque ainda há o zoom ótico, o que significa que a lente da câmera se projeta para frente — e isso deixa o aparelho um tanto maior do que média de mercado.

O Galaxy K Zoom conta com conexão 4G, algo que fez falta em sua versão anterior. Além disso, há tela de 4,8 polegadas com resolução HD (1280 por 720p), seis núcleos de processamento, 2GB de memória RAM, 8GB de armazenamento interno, suporte para cartão microSD de até 64GB (SDXC) e o sistema Android 4.4 KitKat.

Esse foi o primeiro dispositivo com processador Exynos, feito pela própria Samsung, a passar pela análise do INFOlab. Normalmente, os aparelhos da marca contavam com esse componente apenas nos mercados asiáticos.

As melhorias dos componentes refletem claramente na performance do smartphone, Contudo, isso e a variação econômica do último ano fez que com que a diferença de preço em relação ao antecessor atingisse a marca de 40%. Enquanto o S4 Zoom chegou com preço sugerido de 1.500 reais, o K Zoom é vendido por 2.100 reais.

[Conheça o método do INFOlab]

Design

O design do smartphone é similar ao do Galaxy S5, o dispositivo mais potente da Samsung no momento. A parte traseira tem uma cobertura de couro sintético com pequenos furos. O aparelho está um pouco mais ergonômico, já que suas proporções foram reduzidas em relação ao S4 Zoom.

Por outro lado, a empunhadura enquanto câmera continua com um problema que pode fazer o usuário derrubar o smartphone. Ao segurarmos com as duas mãos e ativarmos o botão da câmera, a lente se projeta para a frente e, se o dedo de apoio estiver próximo à lente, o aparelho pode se desequilibrar da mão.

Configuração

O aparelho tem o processador Exynos 5260, mas, em vez de contar com uma CPU só, ele tem duas: uma Cortex A7 quad core de 1,3GHz e outra Cortex A15 dual core de 1,7GHz, ambas da ARM. A força de processamento é um destaque, uma vez que sua versão anterior contava com Exynos 4112 Cortex A9 1,5 GHz e uma CPU Cortex A9 dual core, algo que prejudicava a fluidez do sistema e a experiência de uso não era condizente com o preço sugerido de 1.500 reais.

Esse processador do K Zoom é Exynos usa um esquema de power gating similar ao big.LITTLE da ARM. Isso significa que há dois núcleos mais fortes de arquitetura Cortex A15 que alternam a carga de trabalho com um quarteto de arquitetura Cortex A7.

Essa grande quantidade de núcleos existe em prol de uma melhor gestão de energia e desempenho. Quando o aparelho não precisa realizar tarefas pesadas, apenas os dois núcleos que consomem menos são despertados. Já em tarefas mais pesadas, o travamento do smartphone é evitado, já que os seis núcleos entram em ação. Isso se reflete em dois pontos positivos que tornam o K Zomm drasticamente superior ao S4 Zoom: desempenho e duração de bateria.

Por outro lado, o desempenho do aparelho nos benchmarks mostrou-se consideravelmente inferior à competição da Qualcomm. Especialmente no 3DMark, a Adreno 320 se saiu muito melhor que a oferta da ARM. Curiosamente, o Antutu foi o único benchmark no qual o K Zoom não apenas atingiu as marcas de aparelhos com o Snapdragon 801, como também os superou.

Quadrant (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
K Zoom 13308
LG G3 22952
Nexus 5 8931
AnTuTu (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
K Zoom 31395
LG G3 27997
Nexus 5 26126
Vellamo (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
K Zoom 2934
LG G3 2527
Nexus 5 2066

Bateria

Graças aos seus seis núcleos de processamento, o Galaxy K Zoom se saiu bem no teste de bateria realizado no INFOlab. Reproduzindo vídeos continuamente com brilho de tela no máximo e Bluetooth e Wi-Fi ativos, o aparelhou aguentou por 10h29 fora da tomada. O resultado supera até mesmo o Galaxy S5, que é o aparelho topo de linha da mesma fabricante.

 Sistema e aplicativos

Como de costume, a Samsung não agrada os fãs do Android puro colocando diversas mudanças no software. A aparência é bastante semelhante à encontrada na interface do Galaxy S5, que é versão atualizada da personalização da fabricante chamada de Touchwiz. Mas há mudanças evidentes. No K Zoom, por exemplo, não existem os recursos de fitness e biometria, uma vez que ele não tem os sensores de impressão digital e batimentos cardíacos que fazem parte do S5. Contudo, a fabricante oferece aplicativos dedicados ao smartphone cujo foco é a câmera.

O Estúdio é um editor de imagem com uma interface similar à do Instagram, mas com um escopo bem maior. O app serve para editar imagens e vídeos, criar colagens com várias fotos e alterar fotos tiradas no modo “Foto e mais”. Há nele um botão chamado “Aprimorar” que basicamente aumenta o brilho, a nitidez e a saturação da imagem. A parte curiosa é que ele pode ser utilizado mais de uma vez em uma única imagem, o que põe em dúvida a definição de “aprimoramento”. O Estúdio salva imagens em 5 MP ou 8 MP, números bem distantes dos 20,2 MP da câmera. Também é possível fazer edições de vídeo simples.

Já o Pro Suggest Market dá ao usuário a opção de salvar seu perfil de ajuste de imagens (isso inclui opções de exposição, equilíbrio de cores, etc.). Essas configurações também podem ser compartilhadas com outros usuários em um mercado que tem ofertas da Samsung ealguns perfis compartilhados por usuários. Essa loja pode ser simples, mas tem potencial (ainda que esteja em estágio embrionário).

Câmera

O foco do smartphone Galaxy K Zoom é a sua câmera. O aparelho é capaz de registrar imagens com resolução de 20,7 MP, gerando imagens com até 5248 por 3936 pixels. O aparelho conta também com autofoco, flash LED e Xenon, estabilização de imagem e zoom óptico de até dez vezes. O sensor da câmera é um CMOS BSI de 1/2.3” que tem 20,7 milhões de fotodiodos, portanto, gera imagens com 20,7MP. A lente é uma 4.4-44 mm (equivalente a 25.1-250.8 mm) f/3.1-6.3, o que lhe garante as 10x de zoom óptico.

A câmera do Galaxy K Zoom tem um sistema de autofoco híbrido, assim como o Galaxy S5, usando pontos de foco por detecção de fase no sensor, o que, na prática, ajuda na hora de capturar cenas movimentadas.

A qualidade das imagens registradas pelo K Zoom é boa e está acima da média de mercado. O desempenho é comparável ao de uma câmera digital compacta. Entretanto, apesar de ser um caso a parte, o Nokia Lumia 1020 ainda é uma câmera superior.

Quando as fotos são observadas em um crop 100%, nota-se rapidamente que os contornos dos objetos não são tão bem delineados quanto poderiam ser. Na faixa da grande angular, também há também uma distorção considerável nas periferias extremas do quadro (o mesmo não se repete na teleobjetiva). Dependendo do nível de escrutínio, ruído de luma e chroma pode ser identificado já no ISO 100, mas a perda de detalhe só se torna óbvia na imagem em geral no ISO máximo.  

Vale notar que o ISO máximo é 3200, o tempo de disparo mais rápido é 1/2000s e o mais lento é 16s. Para efeito de comparação, uma DSLR de entrada chega pelo menos ao ISO 6400, e tem disparos de 1/4000s ou 30s. Ou seja, ela está 1 stop abaixo das specs de uma máquina dedicada típica (e. g. a mudança do ISO 3200 para o 6400 é o mesmo que 1 stop, do ISO 1600 para o 12800 são 3 stops).

Um ponto legal é que até a câmera frontal do K Zoom pode ser controlada remotamente com comandos de voz, o que facilita bastante no momento de registrar selfies (autorretratos).

O resto do aplicativo é bem no estilo da Samsung: dezenas de opções disponíveis sobre todos os aspectos da fotografia e da filmagem. Existem 27 modos de exposição que, felizmente, podem ser ocultados pelo usuário. Há ainda uma série de opções extras, como a possibilidade de incluir assinaturas personalizadas nas imagens ou toda uma série de filtros de cor à la Instagram.

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: INFO

O K Zoom é capaz de gravar vídeos com resolução Full HD com a sua câmera principal. Um fato curioso é a possibilidade de filmagem a 60 quadros por segundo (fps), o que suaviza o registro de cenas em movimento. Os resultados são bons, especialmente por causa da estabilização óptica. É possível também criar vídeos em câmera lenta (8x mais lenta, 1280×720) ou em câmera rápida (8x mais rápida, 1920×1080).

Vale a pena?

O Samsung Galaxy K Zoom é um smartphone consideravelmente superior ao seu antecessor e adquirir a nova versão para quem já era fã da anterior é uma ótima escolha. A aquisição também é boa para quem procura um aparelho novo e quer um desempenho bom para fotografias, lembrando que seu desempenho é comparável ao de uma câmera digital compacta com o adicional de possuir recursos inteligentes. Fotógrafos profissionais podem encarar o smartphone com uma câmera para diversão ou para registros rápidos para o contidiano, mas, conforme detalhado acima, o gadget não faz fotos em nível profissional.

 

Ficha técnica

Sistema operacional Android 4.4.2 (KitKat)
Chipset Exynos 5260
CPU (SoC) Seis núcleos (quatro Cortex A7 @ 1,3 GHz e dois Cortex A15 @ 1,7 GHz
GPU (SoC) Mali T624
Memória RAM 2GB
Armazenamento 8GB (4,61 livres) + microSD de até 64GB
Conexões 4G (LTE-A Cat 4), Wi-Fi n dual band, GPS com GLONASS, Bluetooth 4.0, NFC
Tela 4,8” (1280 x 720p)

Avaliação técnica

Prós Boa câmera, desempenho melhor do que a geração anterior, duração de bateria excelente
Contras Ergonomia poderia ser melhor
Conclusão Bom smartphone para quem gosta de tirar fotos. É como ter uma câmera compacta sempre à mão
Configuração 8.0
Usabilidade 8.3
Diversão 9.0
Bateria 9.0
Design 7.3
Média 8.2
Preço R$ 2.099