Samsung começa a vender nova pulseira inteligente no Brasil

Inserido em tendência bilionária, o Galaxy Fit monitora sono, atividade física e conta seus passos ao longo do dia

São Paulo – A sul-coreana Samsung começa a vender hoje no Brasil a sua nova pulseira inteligente Galaxy Fit. O aparelho é voltado para monitoramento de atividades físicas e qualidade do sono, além de levar para o pulso as notificações que chegam no smartphone.

Por meio de um sensor de movimento e do aplicativo Samsung Health (disponível para Android e iPhone), as atividades do usuário são rastreadas e geram informações como calorias perdidas, tipo de exercício realizado ou mesmo a movimentação durante a noite (para que você saiba se teve um sono tranquilo ou agitado). Assim como outros dispositivos dessa categoria de produto, a pulseira da Samsung informa também quantos passos você deu durante o dia. Esse dado é consolidado, mais tarde, em gráficos de semanas e meses.

Com preço sugerido de 699 reais, o Galaxy Fit também conta com sensor de batimentos cardíacos, o que ajuda a ficar de olho no ritmo do coração durante o dia ou durante a realização de um exercício.

Assim como o Apple Watch, o Galaxy Fit tem resistência à água. No caso do dispositivo da Samsung, há certificação de proteção para 5ATM, o que pode conferir ao aparelho proteção contra água em profundidade de até 50 metros, por um período de tempo limitado.

Segundo a Samsung, a ideia de usar um dispositivo como o Galaxy Fit é aliar recursos tecnológicos a objetivos de saúde, bem-estar e organização – uma vez que o aparelho também emite alertas de compromissos da sua agenda.

De acordo com a consultoria Gartner, o mercado de tecnologias vestíveis (como são chamados produtos como o Galaxy Fit) atingirá 225 milhões de unidades vendidas globalmente em 2019. O número representa um aumento de 25,8% em relação a 2018. Para este ano, a consultoria estima que, no mundo, o gasto dos usuários atingirá 42 bilhões de dólares.

Outras empresas que atuam nesse ramo e vendem seus produtos oficialmente no Brasil são a chinesa Xiaomi e a americana Apple.