Saiba para que serve o radar do Pixel 4, o novo smartphone do Google

Dispositivo posicionado ao lado da câmera frontal é a principal novidade do Pixel 4

São Paulo – Anunciado nesta terça-feira (15), o Pixel 4 chega ao mercado com mudanças nas câmeras e no design. A maior novidade, contudo, promete ser a presença de um radar integrado ao smartphone. Minúsculo, o componente é a aposta do Google para diferenciar seu celular de rivais do setor.

Chamado de Projeto Soli, o radar incorpora o recurso Motion Sense ao aparelho. A tecnologia captura movimentos e gestos do usuário para executar comandos no smartphone. É possível, por exemplo, gesticular para mudar músicas, silenciar chamadas, ligar ou desligar o alarme, entre outras funções.

Outra funcionalidade está relacionada ao desbloqueio do Pixel 4 por reconhecimento facial. Durante a apresentação realizada em Nova York, nos Estados Unidos, o recurso mostrou respostas ágeis para liberar acesso ao celular, não sendo necessário apontá-lo diretamente para o rosto e esperar alguns (demorados) segundos.

A expectativa do Google é de que a novidade atue melhor do que o Face ID, da Apple. Para fazer isso, além de apostar em maior eficiência nas técnicas de reconhecimento, a companhia de Mountain View afirma que a função necessita de pouca bateria do smartphone para permanecer ativa.

Já em pré-venda, o Pixel 4 e o Pixel 4 XL chegam ao mercado no dia 24 de outubro e vão custar a partir de 799 dólares e 899 dólares respectivamente. Tal como os modelos antecessores, a venda dos novos celulares no Brasil é tida como improvável.