Roberto Carlos notifica Apple por venda não autorizada no iTunes

Cantor quer que Apple retire de sua loja virtual iTunes as faixas do álbum “Louco por Você”, gravado pelo músico na década de 60

São Paulo – Os advogados do cantor Roberto Carlos notificaram a Apple no Brasil exigindo que a companhia retire de sua loja virtual iTunes as faixas do álbum “Louco por Você”, gravado pelo músico na década de 60.

Segundo a assessoria de Roberto Carlos, as faixas estavam disponíveis para venda de modo indevido, uma vez que o acordo entre a Apple e a Sony, gravadora que detém os direitos de comercializar a obra de Roberto Carlos, não liberavam o comércio destas faixas.

O disco, na verdade, é uma obra renegada pelo cantor. Roberto Carlos nunca permitiu reimpressões do longa gravado originalmente em 1961, o que tornou as poucas cópias disponíveis em vinil no mercado “raridades” comercializadas por preços acima de R$ 3 mil em sebos e casas especializadas.

Embora Roberto Carlos nunca tenha explicado publicamente o motivo de não liberar as vendas de “Louco por Você”, especialistas na obra do músico afirmam que Roberto teria “vergonha” desta fase de sua carreira, anterior à sua ascensão com a jovem guarda, na década de 70.

As faixas de “Louco por Você” entraram na loja da Apple provavelmente por engano. O cenário mais provável é que a Sony tenha repassado o acervo digital de sua estrela à Apple esquecendo-se de excluir as faixas do álbum renegado. No iTunes, é possível comprar faixas de “Louco por Você” por US$ 0,99. 

A Apple não comentou a reclamação dos advogados de Roberto Carlos.  Pelo acordo feito entre Sony e Apple, o iTunes deve liberar gradativamente toda a obra de Roberto Carlos para venda em formato digital, exceto algumas faixas vetadas por Roberto Carlos, como é o caso das canções do álbum “Louco por Você”.