Review: Galaxy Note 10+ se destaca por câmeras e bateria

Smartphone da sul-coreana Samsung é o principal oponente do iPhone 11 Max Pro; leia teste

São Paulo – O Galaxy Note 10+ é o smartphone com sistema operacional Android mais avançado já lançado até hoje no mercado brasileiro. O aparelho da Samsung reúne, essencialmente, todos os recursos de um bom celular e eleva o patamar de qualidade em todos os pontos. Com isso, é o principal rival do iPhone 11 Max Pro. Além de ter a melhor câmera de um smartphone Android no Brasil, ele conta, ainda, com a melhor autonomia de bateria que já registramos em um modelo topo de linha. Confira os detalhes no nosso review do Galaxy Note 10+ a seguir.

Design

O Note 10+ segue com o padrão de design adotado pela Samsung em seus produtos topo de linha nos últimos anos. Ele tem revestimento em vidro, contornos em metal e uma nova cor, chamada Aura Glow, que combina as cores do arco-íris. Conforme você move o celular, o seu visual muda. Mas há algumas mudanças mais significativas no aparelho.

Galaxy Note 10+

 (Lucas Agrela/Site EXAME)

Desde o lançamento do Galaxy S6, quando a Samsung repaginou o visual dos seus smartphones de elite, a câmera traseira sempre se posicionou alinhada ao centro. A linha Galaxy Note 10, da qual fazem parte os modelos Note 10 e Note 10+, mudou isso.

O módulo de câmera fica na lateral. Tal mudança foi viabilizada pelo novo sensor de impressões digitais, que passou da parte de trás para a parte inferior da tela. Como a marca sul-coreana não fez isso no Galaxy S10, o smartphone mais avançado da empresa no primeiro semestre de 2019, o Note 10+ se diferencia claramente entre os dispositivos mais sofisticados da Samsung.

As mudanças não terminam por aí. A tela de 6,8 polegadas ocupa 91% da área frontal do smartphone. Em vez de ter uma borda acima do display para acomodar sensores de câmera e reconhecimento facial, tudo que há no topo é um recorte redondo no formato do sensor da câmera, que também analisa seu rosto e permite o desbloqueio do aparelho com base nisso.

Galaxy Note 10+

 (Lucas Agrela/Site EXAME)

Esse formato fez a tela ficar mais ampla, o que levou a sua proporção de tela para 19:9, enquanto a geração passada tinha 18,5:9. Para ver filmes, muitos deles filmados em 16:9 (padrão Full HD), o usuário pode usar um movimento de pinça com os dedos na tela para ampliar o vídeo e aproveitar 100% da tela para vê-lo. O tamanho maior do display também aumentou o número total de pixels. A resolução, portanto, passou de 1.440 x 2.960 pixels para 1.440 x 3.040 pixels. A resolução é chamada Quad HD e está acima do padrão Full HD e abaixo do 4K. Com isso, o display permite assistir quase em qualidade máxima os vídeos disponíveis na internet atualmente. Sem celulares com telas 4K no mercado brasileiro formal, o Note 10+ tem a maior e melhor tela para consumo de mídia em 2019.

Galaxy Note 10+

 (Lucas Agrela/Site EXAME)

Seguindo um padrão da indústria e a maturidade dos seus fones de ouvido sem fio, que chegam à terceira geração com a linha Galaxy Buds, a fabricante optou por retirar o conector de fones de ouvido do Note 10+. Ou seja, assim como a Apple faz com o iPhone desde 2016, agora você precisará usar fones de ouvido Bluetooth ou conectar seus fones tradicionais com um adaptador.

Galaxy Note 10+

 (Lucas Agrela/Site EXAME)

O botão dedicado para a assistente de voz Bixby, que ainda não tem suporte para comandos em português, não está mais presente no Note 10+. Ela ainda pode ser acionada com o botão de ligar, mas ele pode ser facilmente configurado para fazer apenas as funções de ligar e desligar. A decisão, porém, levou o botão e os controles de volume para a lateral esquerda do celular, deixando a lateral direita sem nenhum. No começo, isso pode causar estranheza ao usuário, que precisará de uma leve curva de aprendizagem para se acostumar com isso – especialmente se, antes, ele tivesse algum celular topo de linha da própria Samsung e se acostumou a evitar pressionar por engano o botão da Bixby, que sempre ficou do lado esquerdo, abaixo dos controles de volume.

Bateria

A bateria do Galaxy Note 10+ é um dos seus principais destaques. Ela tem capacidade de 4.300 mAh, acima da média de mercado de 3.000 mAh. Por isso, sua autonomia de uso é muito boa. É a melhor na sua categoria atualmente. Em nosso teste padrão com reprodução de vídeo via internet, com brilho de tela no máximo, Bluetooth e Wi-Fi ativos, ele aguentou por 15 horas com uma única carga. No ano passado, o Note 9 aguentou 12h30 sob as mesmas condições, o que mostra uma clara melhoria na bateria do Note 10+ (em parte, graças ao aumento de 300 mAh na capacidade de carga dela).

Câmeras

O módulo de câmeras do Galaxy Note 10+ é complexo de ser entendido, mas simples de ser usado. Ele tem câmeras para diferentes finalidades. A tradicional tem 12 megapixels e conta com o recurso de regulagem automática da abertura da lente, que permite que as fotos sejam captadas com qualidade tanto com luz natural quanto com luz artificial. Ela varia de 2.4 para 1.5 (quanto menor o número, melhor a captação de luz).

A segunda câmera é uma telefoto, voltada para retratos. Ela tem um zoom óptico de duas vezes comparado à primeira câmera. Isso permite, por exemplo, tirar uma foto de alguém mesmo que ela esteja em meio a uma multidão ou registrar uma imagem que está distante de você. A câmera também tem resolução de 12 megapixels e sua abertura é de 2.1 (ou seja, quanto mais luz natural, melhores serão os resultados).

A terceira câmera é uma ultrawide. Assim como em uma GoPro, as cenas são capturadas com amplo ângulo de visão. São 123 graus, contra os 80 graus normalmente capturados por câmeras de celular. Com abertura de 2.2, o melhor é usar essa câmera para capturar paisagens ou tirar fotos em locais bem iluminados.

Essa é uma inovação característica da indústria global de smartphones em 2019. Não só o Note 10+ tem isso. O LG G8S e o iPhone 11 Pro também têm câmeras ultrawide. Esse tipo de câmera resolve um problema muito simples: enquadrar várias pessoas em uma foto sem precisar de muito recuo. Outro ponto importante é que ela permite que você tire fotos de si mesmo sem precisar da ajuda de outra pessoa. Basta virar a câmera traseira na sua direção e pressionar o botão de volume para realizar a captura.

Há, por fim, um sensor de profundidade, que é usado quando o usuário ativa o modo de desfoque de fundo em retratos. A função é chamada de Foco Dinâmico, e imita uma técnica de fotografia chamada efeito bokeh. Esse sensor só pode ser usado para isso, não há como usá-lo separadamente.

Câmeras ultrawide são conhecidas por causar distorções nos cantos das fotos. No Note 10+, melhorias de software minimizam esse problema. Em nossos testes, não vimos grandes distorções típicas das câmeras de ação GoPro, o que é algo muito positivo.

A filmagem do Note 10+ tem duas novidades interessantes. Uma delas é o Foco Dinâmico para vídeos. O fundo da cena é desfocado, enquanto seu rosto permanece em primeiro plano. Com isso, você pode filmar sem se preocupar muito com o que está ao fundo. A segunda novidade é o zoom de áudio. Quando você filma uma cena que tem um som um pouco distante, como uma pessoa tocando piano no meio de uma praça de alimentação, você pode usar um movimento de pinça com os dedos para aproximar tanto a imagem quanto o som dela.

As câmeras do Note 10+ estão entre as melhores do mundo e certamente são as melhores que EXAME já teve a oportunidade de testar. Nenhum outro smartphone vendido no Brasil atualmente tem câmeras que fazem fotos com tanta qualidade e versatilidade.

A câmera dianteira do Galaxy Note 10+ é única, não mais dupla como era no S10+. Ainda assim, ela tem 10 megapixels e consegue registrar retratos com fundo desfocado, algo que antes precisava de suas câmeras para ser feito corretamente, sem apresentar erros de recorte do fundo. Apesar de ter câmera frontal única, os resultados que obtivemos em nossos testes foram de ótima qualidade.

Veja as fotos que tiramos com o Galaxy Note 10+ no Google Fotos.

Configuração

Quantos gigabytes de memória RAM seu notebook tem? Há grandes chances de o Note 10+ ter mais memória RAM do que ele. São 12 GB na versão mais sofisticada do aparelho, que é a edição usada neste review. Com isso, ele pode não só dar conta de abrir rapidamente qualquer aplicativo disponível para o sistema operacional Android. Ele deve permanecer assim por um longo período de tempo. A maioria dos celulares tem de 3 a 4 GB de RAM. Por isso, os aplicativos são feitos para ter bom desempenho com tais características. É improvável que aplicativos novos exijam tanta memória que façam o Note 10+ apresentar algum problema de desempenho. Ele é um smartphone feito para quem pensa a longo prazo e deseja ter em mãos o melhor da tecnologia.

O processador do Note 10+ é o Exynos 9825, que tem oito núcleos de processamento para uso alternado para tarefas de baixa e alta intensidade. O chip gráfico, usado para imagens e jogos, é um Mali-G76 MP12, que dá conta do recado na hora de executar games como o título de corrida Asphalt.

A capacidade de armazenamento do Note 10+ vai a até 512 GB, o que é ótimo para quem deseja guardar todas as fotos que tira no próprio celular — mas também é algo que encarece o produto. O funcionamento da memória foi ágil em nossos testes, tanto para leitura quanto para gravação de dados, o que passa uma impressão de eficiência ao usuário no ato de tirar fotos e gravar vídeos, por exemplo.

Nos benchmarks, os aplicativos que medem o desempenho geral de smartphones, o Note 10+ se saiu muito bem e teve visível melhora em relação à geração anterior.

Benchmark Note 10+ Note 9
AnTuTu 274435 81648
Geekbench 5708 9046

S-Pen

A linha Galaxy Note é conhecida pela caneta S-Pen. Ela fica acomodada na parte inferior direita, dentro do aparelho. Com ela, o usuário pode desenhar sobre imagens, fazer anotações à mão, disparar a captura de uma foto à distância. Mas tudo isso já estava disponível na geração passada. 

A novidade é que o usuário pode controlar à distância o zoom das imagens durante a captura de uma foto ou vídeo, ou então aumentar e diminuir o volume de um vídeo no YouTube só usando gestos, sem precisar sequer tocar na tela. São recursos simples, mas que mostram o avanço da interatividade com gestos, uma tendência de mercado que começou a se desenvolver em 2019. Fora o Note 10+, o LG G8S também possui funcionalidades de controle à distância. No entanto, a maturidade dessa tecnologia ainda deve levar algum tempo para chegar ao encontrar uma vocação de uso mais clara.

Vale a pena? 

O Galaxy Note 10+ é um smartphone Android voltado para quem deseja ter o máximo da tecnologia móvel. Ele tem tantos recursos que o usuário pode passar semanas experimentando todos eles e ir descobrindo novos com o passar do tempo. Ainda assim, sua melhor característica é a longa duração da bateria, acompanhada por suas câmeras que registram imagens com qualidade e versatilidade. Quem escolher o Galaxy Note 10+ como próximo celular terá em mãos um aparelho pronto para o que der e vier.