Rede social de autorretratos aposta nas fotos de “selfies”

Segundo o fundador, o aplicativo teve crescimento de 300% em usuários no último mês:40% vêm de países de fora dos EUA e a maioria tem entre 17 e 25 anos

São Paulo – A mania de fazer fotos de si mesmo e postar nas redes sociais já virou uma oportunidade de negócio para startups. Josh Nguyen e Alaric Cole da empresa americana Imagist Labs decidiram fazer um experimento em torno deste hábito e lançaram em outubro uma rede social de fotos, semelhante ao Instagram, mas dedicada apenas aos autorretratos.

O aplicativo se chama Selfie.im – algo como mensagem instantânea baseada em “selfies”. O nome é termo em inglês para descrever as imagens de si mesmo, e foi escolhido nesta semana pelo Dicionário Oxford como a palavra do ano.

Em entrevista a INFO, Nguyen disse que as “selfies” são mais do que uma mania narcisista adolescente e é preciso olhar esse hábito com mais profundidade. “Gostamos de tirar selfies porque podemos controlar nossa imagem, sem que ninguém nos julgue. Quando alguém faz uma foto sua, é a outra pessoa que determina como você vai parecer”, diz.

Segundo o fundador, o aplicativo teve crescimento de 300% em usuários no último mês. Ele não quis divulgar o número absoluto, mas diz que 40% vêm de países de fora dos Estados Unidos e a maioria tem entre 17 e 25 anos. Abaixo, ele conta como percebeu que havia algo a mais nos autorretratos:

INFO – Por que compartilhar “selfies” em uma rede social dedicada, e não simplesmente postar a foto no Facebook ou no Instagram?
Josh Nguyen – O app dedicado dá liberdade de experimentar e brincar com essas imagens sem se sentir mal com isso, ou que as imagens vão ficar no Facebook ou no Instagram. Essas redes são usadas para as pessoas parecerem modernas e estilosas. No nosso aplicativo, vemos muitas “selfies” de pessoas logo depois de acordar, quando estão no metrô e cansadas do trabalho, ou quando estão sozinhas e em frente à TV. São momentos reais e honestos. Criamos um serviço para fazer as pessoas se sentirem confortáveis em ser elas mesmas: sem filtros, sem ênfase na quantidade de seguidores ou na popularidade de alguém.

INFO- Como garantir que as pessoas tirem autorretrados e não fotos tradicionais?
Nguyen – Bem, o aplicativo só permite usar a câmera frontal. Então a maioria dos usuários usam o app como um espelho. Alguns poucos usuários tentaram virar o telefone para tirar fotos do que estão vendo, como uma foto tradicional. Mas essas imagens tendem a ser experimentais, porque você não pode ver o a imagem na tela.


INFO – Você tem dito que as “selfies” são uma nova forma de se comunicar. Por quê?
Nguyen – Se você já usou emoticons, percebe que esses ícones são apenas ilustrações das nossas caras. Nossos rostos carregam muito significado. No Selfie, os usuários tiram fotos do seu estado emocional ao longo do dia: feliz, triste, bobo, entendiado. E estamos começando a ver amigos que respondem a essas imagens com as suas próprias caras. E ainda mais interessante é que muitas pessoas usam as ‘selfies’ como uma mensagem de status, para mostrar onde está e o que está fazendo. Estamos animados em ver como isso vai se desenvolver. O “IM” em Selfie.im é a sigla para “mensagem instantânea” em inglês. Alaric e eu sempre vimos uma nova forma de comunicação com nossos rostos.

INFO – Embora popular, o tirar fotos de si mesmo é uma situação meio constrangedora, não é?
Nguyen – É e não é. Acho que muito do constrangimento tem a ver como você se sente e o que as pessoas vão pensar sobre você. Quero dizer, se você está tirando uma foto “selfie” para se mostrar – e você entende que isso é algo negativo –, você sentirá alguma culpa ou vergonha. Se você usa a “selfie” como atualização de status, não é mais constrangedor do que fazer um check-in no Foursquare. Você não está tentando se mostrar. Está só documentando seu dia.

INFO – O que achou da escolha de ‘selfie’ como a palavra do ano pelo Dicionário Oxford?
Nguyen – Acho que é ótimo, engraçado e fascinante ao mesmo tempo. Também é algo que é muito significativo do nosso estado atual, em relação à tecnologia e à cultura. E também acho que ainda estamos no começo. Fotos “selfies” ainda são vistas como mais um hábito bobo e fútil que os adolescentes fazem, mas acho que se você olhar com mais profundidade, e se perguntar por que isso é tão popular, verá que pode ser algo muito maior. Muitos acham que é uma forma de narcisismo. É verdade, mas há mais do que isso. Gostamos de tirar selfies porque podemos controlar nossa imagem, sem que ninguém nos julgue. Quando alguém faz uma foto sua, é a outra pessoa que está determinando como você vai parecer. Quando você faz seu próprio retrato, você está no controle.