Qualidade da banda larga fecha 2014 ainda com deficiências

Conforme a Anatel, a qualidade da banda larga fixa e móvel continua deficiente no país, com a TIM apresentando os piores números entre operadoras de celular

A qualidade da banda larga fixa e móvel continua deficiente no país, conforme dados divulgados nesta segunda-feira, 16, pela Anatel, referentes às medições realizadas no último trimestre de 2014.

Entre as operadoras celulares, a TIM apresentou os piores números, seguido da Oi.

A Vivo também apresenta problemas em alguns estados e a Claro, em melhor situação, ficou abaixo da meta em um único estado no mês de dezembro.

Porém, no mês de outubro, os resultados dessa operadora deixaram de ser apresentado por inconsistência nos dados.

No mês de outubro, a TIM apresentou resultados abaixo da média em 14 estados, enquanto a Oi mostrou deficiência em 12. A Vivo deixou de cumprir as metas em três estados.

Em novembro, o número de estados com insuficiências na rede da TIM subiu para 15 e na rede da Oi, para 14. A Vivo também deixou de atender as metas estabelecidas pela Anatel em 11 estados.

Já em dezembro, a TIM apresentou deficiências no mesmo número de estados que no mês anterior, em 15.

A Oi deixou de cumprir as metas de qualidade em 11. A Vivo ficou abaixo das metas em oito e a Claro, apresentou deficiências na rede de um só estado.

Na banda larga fixa, a Oi, única a oferecer o serviço em todos os estados, com exceção de São Paulo, descumpriu as metas de qualidade em seis estados no mês de outubro; 16, no mês de novembro e 14, em dezembro de 2014.

A rede da NET apresentou problemas em dois estados, em outubro; dois em novembro e um em dezembro. A GVT ficou abaixo da meta em cinco estados em novembro e igual número em dezembro do ano passado.

Medições

A medição da banda larga móvel se dá por meio de equipamentos de monitoração de qualidade do serviço, instalados em escolas atendidas pelo Projeto Banda Larga nas Escolas Públicas Urbanas.

São acompanhados os indicadores de taxa de transmissão instantânea – velocidade e upload e download apurada no momento de utilização da internet pelo usuário; e taxa de transmissão média, média das medições de velocidade instantânea apuradas durante o mês.

Na banda larga fixa, os resultados são registrados pelos medidores (whiteboxes) instalados nos domicílios de voluntários selecionados. Foram acompanhados especialmente os indicadores de velocidade instantânea – velocidade de upload e download apurada no momento de utilização da internet pelo usuário; e velocidade média – média das medições de velocidade instantânea apuradas durante o mês.

Veja os indicadores aqui, aqui e aqui.