Qual é a proposta de Fernando Haddad para a banda larga?

Veja a proposta do candidato do PT para aumentar o acesso à internet banda larga no Brasil

São Paulo – O candidato à presidência Fernando Haddad (PT) propõe a criação de um programa chamado Brasil 100% Online para a expansão da banda larga no país, caso seja eleito. Além da oferta de acesso à internet de alta velocidade, Haddad se diz contra a privatização do satélite geoestacionário brasileiro, usado para prover acesso à web em regiões remotas.

EXAME realizou um levantamento com os candidatos Jair Bolsonaro, Fernando Haddad, Ciro Gomes, Marina Silva, Geraldo Alckmin, Henrique Meirelles, Álvaro Dias e Cabo Daciolo para tornar públicas as suas propostas com relação à banda larga no Brasil. Responderam aos contatos da redação somente três candidatos: Haddad, Silva e Alckmin.

De acordo com dados de um estudo do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), o custo da internet para as famílias brasileiras que moram na região Norte do país é o equivalente a 2,82% da renda média, enquanto é de 1,81% para famílias do Sudeste. Em diferentes classes socioeconômicas, o custo é crescente. Enquanto o gasto com internet na classe A representa 0,83%, nas classes D e E ele é de 3,90%.

O levantamento TIC Domicílios 2017, divulgado em junho de 2018, indica que 64% dos domicílios têm acesso à internet banda larga no Brasil, enquanto 25% têm acesso via conexão móvel 3G ou 4G. O relatório diz que 42,1 milhões de domicílios têm acesso à web.
https://cetic.br/media/analises/tic_domicilios_2017_coletiva_de_imprensa.pdf

Segundo testes da empresa nPerf, que monitora a velocidade da internet, a banda larga fixa no Brasil teve uma velocidade média de download de 24,77 Mbps, um aumento de 47% entre o período de janeiro e junho de 2018, puxado pela operadora Vivo, com crescimento de 55%.

Veja, a seguir, a resposta na íntegra da equipe de Fernando Haddad à questão sobre a banda larga no Brasil.

“O próximo governo do PT criará o Programa Brasil 100% Online, que prevê fortes investimentos para garantir a universalização da banda larga barata e acessível para todos e todas. O programa tem como meta garantir que todos os domicílios brasileiros tenham condição de acessar a Internet de alta velocidade, a um preço acessível, bem como baratear e melhorar a qualidade do acesso à Internet pelo celular. Para isso, o Brasil 100% Online vai conectar mais de 2 mil municípios à rede fibra ótica.

O governo de Fernando Haddad vai garantir também que o Satélite Geoestacionário brasileiro seja usado para conexão de rádio IP em municípios de pequeno porte, áreas rurais e distritos isolados. Nosso governo não privatizará o Satélite Geoestacionário, como quer Temer e os que defendem privatizações indistintamente. A capacidade do satélite será utilizada para as políticas de Defesa Nacional e para a Telebrás universalizar a internet banda larga. A inclusão digital deve se sobrepor ao lucro privado de grandes empresas. O próximo governo vai fazer com que todos os distritos brasileiros – mesmo aqueles afastados da sede dos municípios – a recebam sinal de celular. Será exigido das empresas que forneçam conexão de alta velocidade a 3.600 municípios que hoje só contam com 3G.

O governo terá compromisso também com a efetivação dos direitos sociais dos povos do campo, das águas e as florestas. Merece destaque a proposta de universalização do acesso à internet banda larga barata e acessível em todas as localidades.”