Privacidade é uma anomalia, diz cocriador da internet

Um dos cocriadores da internet acredita ser impossível esperar que os comportamentos virtuais se mantenham privados se há engajamento em redes sociais

Embora o direito a privacidade seja defendido pelos usuários, um dos cocriadores da internet acredita ser impossível esperar que os comportamentos virtuais se mantenham privados se há engajamento em redes sociais. 

O engenheiro da computação Vinton Cerf, um dos cocriadores da internet, afirmou que novas tecnologias trazem uma maior dificuldade para os usuários alcançarem a privacidade. 

“A privacidade pode ser uma anomalia”, disse Cerf durante um workshop sobre a privacidade em tempos de computadores desenvolvidos para serem vestidos. 

Essencialmente, Cerf acredita que a tecnologia tem avançado a um ponto onde muitas pessoas simplesmente não compreendem o que estão compartilhando sobre elas quando publicam uma informação pessoal na internet. 

Para o engenheiro, esta situação deve se ampliar ainda mais quando as pessoas começarem a utilizar computadores vestíveis que poderão rastreá-los durante o uso.

“Nosso comportamento social é bastante prejudicial à privacidade. A tecnologia ultrapassou nosso intelecto social”, disse Cerf. 

Cerf também declarou que não faz ideia de como escrever leis que protejam a privacidade dos usuários, pois a tecnologia vem evoluindo tão rápido que ainda não compreendemos quais perigos e riscos ela traz à privacidade.