Barack Obama apoia sistema de votação via internet

Votar pela internet, apesar de ser algo raro, já é uma realidade na Estônia

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, disse apoiar a criação de um sistema de votação eleitoral via internet, em uma entrevista concedida ao Fast Company, nesta segunda-feira (15).

“Olhe para minhas filhas, que são, como todos os adolescentes de hoje, completamente fluentes em tecnologia e em mídias sociais. Elas podem não ir a uma reunião na prefeitura fisicamente, da forma como sua avó pode ter ido por causa de algum problema, e sentarem-se lá durante um debate de duas horas. Isso porque elas estão acostumadas com as coisas se movendo de forma mais rápida. Mas podemos imaginar a criação de um processo corolário para elas que seja consistente com a forma como elas interagem em geral. Podemos pensar em aplicativos que promovam o engajamento e empoderem o povo”, declarou Obama, respondendo a uma pergunta sobre se as empresas de tecnologia deveriam priorizar a criação de um sistema de votação na internet.

“Temos falado com a equipe do segmento digital dos EUA e tratado de temas como: Como podemos entregar melhores serviços para os cidadãos? Mas há outros aspectos deste processo que estamos tentando desenvolver. Queremos que a tecnologia ajude a moldar a política.”

Obama não disse exatamente como esse sistema eleitoral online funcionaria e conduziu o restante de sua resposta para o fato de que a sociedade americana atual pode se beneficiar da tecnologia para fortalecer a democracia.

“Isso não é algo que vai acontecer num período de dois anos, quando acaba o meu mandato. A coisa mais importante que estamos fazendo é construir um plano de voo, um conjunto de tradições, em que as pessoas realmente inteligentes do setor privado podem entrar, e, esperançosamente, uma tradição segundo a qual o presidente reconheça que essa é uma ferramenta poderosa e que ele forneça o espaço para que essas pessoas possam trabalhar”, contou Obama.

Votar online, apesar de ser algo raro, já é uma realidade. Desde 2005, a Estônia adotou o iVoting, que considerado inovador pela acessibilidade que oferece. Porém, o método não é livre de falhas. Em entrevista a INFO no ano passado, Mikko Hyppönen, diretor-executivo de pesquisas da F-Secure, afirmou gostar do sistema de votação usado no Brasil justamente por ele não estar ligado à internet.

“No sistema de vocês, gosto do fato de que todos têm comprovantes físicos para mostrar que votaram [e não em quem votaram] – é algo que falta nas máquinas de votação dos EUA. Também gosto do fato de vocês não votarem online, algo que a Estônia tem feito desde 2005, por exemplo”, disse Hyppönen. “O sistema de votação estoniano foi elogiado como um ótimo exemplo, mas ele foi estudado pela primeira vez só agora por um grupo internacional de pesquisadores, que descobriram diversos problemas técnicos”.