Preço baixo pode ser a chave para a Apple virar o jogo em 2020

Venda de iPhones despencou 7% no ano passado e perdeu a segunda colocação do mercado de smartphones para a Huawei

São Paulo – A Apple perdeu a batalha, mas não a guerra. A companhia de Cupertino viu a vice-liderança do mercado de smartphones passar para a Huawei devido ao desempenho abaixo do esperado nas vendas anuais de 2019. Contudo, uma guinada motivada pelo lançamento do “baratinho” iPhone 11 pode ajudar a empresa da maçã a recuperar o posto.

De acordo com dados das consultorias Canalys, Strategy Analytics e Counterpoint Research, a Apple vendeu 198,1 milhões de iPhones em 2019, 7% a menos do que no ano anterior. A Huawei, por sua vez, vendeu 240,6 milhões de aparelhos no período. A liderança é da Samsung com 298,1 milhões de celulares vendidos no ano.

Para voltar ao segundo lugar, a Apple pode apostar em uma estratégia que já deu certo no último trimestre de 2019: preço mais em conta. Na época, a companhia liderou o setor com vendas de 72,9 milhões de celulares, quase 3 milhões a mais do que a rival sul-coreana. Somente na Índia, as vendas da Apple aumentaram 200% no período, segundo a Canalys.

A motivação foi a chegada de um novo e mais barato aparelho. Lançado em setembro, o iPhone 11 chegou custando 700 dólares em sua versão mais simples. Mais robusto, o dispositivo custava 50 dólares a menos do que o iPhone XR, considerado seu antecessor.

O plano deu certo. Em números, a Apple faturou 56 bilhões de dólares com a venda de iPhones nos três últimos meses de 2019, 8% a mais do que em 2018.

A estratégia pode ser repetida neste ano. Fornecedores da Apple planejam iniciar a fabricação do novo iPhone já em fevereiro. A ideia é lançar um aparelho com configurações mais simples e preço mais baixo para aproveitar um vácuo do mercado que espera a chegada de aparelhos capazes de se conectarem às redes 5G.

Nas configurações técnicas, a expectativa é de que o novo aparelho conte com tela de 4,7 polegadas e a reutilização do botão Home com o sensor Touch ID. Com lançamento previsto para março, o celular deverá ter preço semelhante ao do iPhone 8, algo na casa de 449 dólares.