Popularização de roteadores Wi-Fi de alta velocidade deve levar cinco anos, diz TP-Link

Aparelhos com Wi-Fi padrão ac são vendidos por mais de 200 reais no Brasil

A popularização dos roteadores Wi-Fi de alta velocidade, com padrão 802.11ac, deve levar cinco anos, de acordo com a fabricante TP-Link. A previsão é do gerente de produtos da marca no Brasil, Fábio Appel, que fala com base na redução de custo de produtos com tecnologia Wi-Fi N no passado.

“Nesse tempo, a tecnologia que, à época, foi lançada por 400 reais, em um cenário econômico diferente, teve uma redução de até oito vezes o custo de produção, tornando popular o padrão Wi-Fi N. Ou seja, o produto se tornou trivial em cinco anos, atingindo um preço de entrada para o usuário final”, disse Appel em entrevista a INFO. “ Um lançamento torna-se algo básico nesse período.”

A empresa realizou, nesta quarta-feira (15), um evento em São Paulo para anunciar a sua linha de roteadores com Wi-Fi ac, cujos preços começam em 229 reais no mercado nacional.

O modelo mais poderoso da marca será lançado no Brasil neste ano, ainda sem uma data exata definida. Chamado Archer C3200, o aparelho tem processador dual-core de 1 GHz, que funciona em conjunto com três coprocessadores. Esses componentes são os responsáveis por gerenciar as atividades das seis antenas do produto, que o permitem funcionar com tecnologia Tri Band (três bandas independentes que permitem a conexão de diversos dispositivos à rede), bem como oferecer velocidade de até 600 Mbps na frequência de 2,4 GHz e até 1300 Mbps em cada uma das duas bandas de 5 GHz.

Esse roteador topo de linha chegará ao Brasil para concorrer com o D-Link AC3200 Ultra, que tem um visual que lembra um drone e configuração semelhante ao do Archer C3200.

A frequência de 5GHz tem alcance menor do que a de 2,4 GHz, porém, ela é capaz de transmitir mais dados por segundo e é virtualmente livre de interferências. É possível, por exemplo, ter até 20 dispositivos de rede próximos operando na mesma frequência sem que haja perda de sinal ou velocidade de internet.

Em termos de necessidade doméstica, Appel afirmou que conexões de até 10 mega não devem ter problema por conta de ter um Wi-Fi N em casa. Porém, quem tem plano de banda laga de 20 mega ou fibra óptica já precisará de um roteador padrão ac para poder aproveitar ao máximo a velocidade da internet contratada.

A demanda por roteadores de alta velocidade deve estar em alta nos próximos anos, ao menos de acordo com a previsão da consultoria Pyramid Reasearch, que estima que a internet por fibra óptica deve atingir 11,8 milhões de acessos na América Latina, mais de cinco vezes mais do que em 2013, quando o número era de 2,2 milhões.

Os prós e contras da internet na frequência 5 GHz

Clique para abrir o link no navegador