Greenpeace apoia petição online para o fim de imposto sobre venda da energia solar no Brasil

Com fim do ICMS, a energia ficaria 20% mais barata, dizem pesquisadores

Apesar de o Brasil ser um dos países que mais recebe luz solar durante o ano, pouco mais de 1% da eletricidade nacional deriva dessa fonte de energia. Pensando em incentivar a chamada microgeração de energia em residências brasileiras, o Greenpeace e Observatório do Clima iniciaram uma campanha em apoio ao fim da cobrança de ICMS (Imposto Sobre a Circulação de Mercadorias e Prestação de Serviços) sobre a venda de energia solar. 

As duas entidades de preservação ambiental, em parceria com a comunidade mundial de mobilização Avaaz, lançaram uma petição online, para que os cidadãos participem e pressionem seus governadores. O abaixo-assinado, lançado depois que uma medida do governo federal permitiu aos estados isentar o ICMS sobre a energia solar, já teve adesão dos governadores de São Paulo, Goiás e Pernambuco, além de Minas Gerais, onde há isenção desde 2012.

Recentemente, uma pesquisa do Datafolha, encomendada pelo Greenpeace e o Observatório do Clima, apontou que 40% dos brasileiros estariam dispostos a instalar painéis de energia solar em suas casas, mesmo sem incentivos, e essa porcentagem subia para 71%, caso tivessem acesso a uma linha de crédito com juros baixos e a possibilidade de vender o excesso energético. 

Entre as vantagens da microgeração de energia solar estão o aumento da oferta de energia elétrica, a redução do risco de apagões e de impactos ambientais e sociais de energias não limpas. 

A petição seguirá até setembro.