Paul Baran, cientista pioneiro da internet, morre aos 84 anos

O temor de que um ataque nuclear bloqueasse as comunicações levou o pesquisador a criar a técnica de transmitir dados em pequenos pacotes, que é a base da internet

São Paulo — Paul Baran, cientista pioneiro da internet, morreu aos 84 anos, no sábado, em sua casa em Palo Alto, na Califórnia, Estados Unidos, em consequência de um câncer de pulmão, conforme anúncio feito nesta segunda-feira. 

Na década de 60, Baran trouxe ao mundo a ideia de “fatiar” dados digitais em pequenos blocos de informação para facilitar sua transferência entre computadores e torná-la mais segura.

O conceito da fragmentação de dados surgiu com o objetivo de manter a operação de redes de telecomunicações em funcionamento caso parte dela fosse atingida por um ataque nuclear. O trabalho pioneiro de Baran resultou na Arpanet, uma rede para a comunicação entre cientistas que estabeleceu as bases da internet moderna.