Parceria com a Apple era o certo a se fazer, diz VP da Samsung

Em entrevista exclusiva a EXAME, Won Jin Lee fala sobre chegada do iTunes às TVs, futuro do sistema Tizen e política aberta a parcerias

São Paulo – Won Jin Lee é vice-presidente sênior da Samsung Electronics, responsável pela área de TVs. Sua divisão fez algo inédito neste ano: uma parceria com a Apple que leva a loja de filmes e músicas iTunes para as Smart TVs da sul-coreana. Apesar de as rivais terem suporte ao AirPlay, uma tecnologia que transmite a tela de iPhones e iPads para as TVs, o aplicativo do iTunes funciona de forma independente e foi anunciada como uma exclusividade da Samsung.

Lee conta, em entrevista exclusiva a EXAME, que a aliança era o certo a se fazer pelos consumidores. Ele também fala sobre o sistema Tizen, que equipa as TVs, e sobre a estratégia da companhia para a inevitável tendência da Internet das Coisas, que conectará dispositivos de toda a casa à web. Confira a seguir a entrevista na íntegra com o vice-presidente da Samsung Electronics, concedida no período da CES 2019, o maior evento de tecnologia do mundo, realizado no início de janeiro.

EXAME: Como o sistema usado pelas TVs, o Tizen, atuará no ecossistema de Internet das Coisas da Samsung no longo prazo?

Won Jin Lee: O Tizen foi lançado em 2015, estamos há quase quatro anos no mercado. Somos agora a maior plataforma de Smart TV do mundo, com cerca de 200 milhões de dispositivos ativos. Estamos adicionando mais capacidades aos nossos dispositivos. Sejam mais serviços de conteúdo ou mais serviços de descoberta com inteligência artificial, nossa escalabilidade, nossas competências de hardware e recursos de Internet das Coisas, como o aplicativo para celular “Smart Things”. Queremos operar o Tizen de uma forma que vá além das barreiras do ecossistema e é por isso que estou pressionando por uma política aberta para o Tizen.

EXAME: A Samsung já fez parcerias importantes para manter o Tizen relevante nas Smart TVs. Vocês fizeram isso com o GameFly, um aplicativo de streaming de jogos [hoje, descontinuado], e com o SporTV, na Copa do Mundo na Rússia. Agora, vocês têm a Apple. Qual é o próximo passo?

Won Jin Lee: No ano passado, ajudamos a Netflix e a Amazon a expandir os seus serviços de streaming em uma base global por meio de parcerias com elas. Estamos trabalhando com a Apple há algum tempo para fazer isso também. No final do dia, temos que manter o foco nos consumidores, analisar qual é a coisa certa em ambos os lados. Ficou claro: tínhamos que dar mais opções aos usuários da Samsung com as Smart TVs da Samsung. Não poder executar serviços de conteúdo porque existem barreiras em torno do ecossistema realmente não fazia muito sentido.

EXAME: O ecossistema de aplicativos de Smart TVs é muito diverso devido a diferentes sistemas operacionais usados pelas fabricantes. Isso é muito diferente nos smartphones e tablets, onde o Android é quase onipresente em mercados como o Brasil. Veremos, algum dia, uma unificação para que todo o ecossistema de aplicativos possa crescer, como aconteceu com o Android?

Won Jin Lee: O Android OS deu mais opções aos consumidores. Se não fosse pelo Android, as pessoas teriam uma única opção para smartphones. Por estar disponível para os outros competidores desse mercado, os consumidores poderiam escolher a Apple ou Samsung ou qualquer outro celular Android. Foi uma escolha bem-sucedida. Com o Tizen, queremos prestar bons serviços aos nossos consumidores. Queremos operar o Tizen de uma forma que vá além das barreiras do ecossistema e é por isso que peço mais liberdade ao Tizen. Não colocamos uma barreira sobre quem pode entrar em nossa loja de aplicativos. A única barreira é que eles tenham o nível certo de qualidade de serviço antes que estejam em nossa plataforma.

EXAME: Por que a QLED TV não tem benefícios de software evidentes, apesar de ser uma família de produtos com tecnologia de ponta da Samsung?

Won Jin Lee: O QLED 2019 da Samsung fornece recursos aprimorados da assistente pessoal Bixby [que funciona apenas com comandos de voz em inglês] e recomendações de conteúdo no Universal Guide. Com a Bixby, a QLED TV de 2019 recomenda conteúdo com base no histórico de visualizações dos usuários e permite uma variedade de interações de perguntas e respostas para orientar ainda mais as sugestões de conteúdo. O Universal Guide utiliza dados como os de assinaturas de serviços de vídeo, conteúdos preferidos e gráficos de gostos pessoais dos usuários para fornecer recomendações de conteúdo mais perspicazes com tecnologia da nossa inteligência artificial.

EXAME: Uma vez que o hardware atinge um plateau, o software torna-se mais importante, devido às mais amplas possibilidades que ele oferece. A Samsung continuará a melhorar o Tizen?

Won Jin Lee: Se você observar como a Smart TV está evoluindo, verá que ela está mudando o cenário da indústria de TV. Tradicionalmente, o setor tem sido altamente fragmentado e historicamente fornecido por provedores de serviços. Tem sido um jardim murado. Se você possuísse uma assinatura da Comcast, ela estava sozinha.

Ao termos mais Smart TVs conectadas no mercado, elas estão quebrando essas barreiras e oferecendo aos provedores de conteúdo a oportunidade de atravessar as barreiras oferecidas por operadoras. É como vimos acontecer com os smartphones há dez anos – o ecossistema era um jardim murado das operadoras. Com a introdução da série Galaxy da Samsung e do iPhone, as paredes caíram e agora os provedores podem ir além das operadoras e prestar serviços aos consumidores diretamente.

Nos últimos anos, ajudamos empresas de todo o mundo, como a Amazon, a dar destaque aos seus serviços globais. Estamos administrando o maior ecossistema de Smart TVs do mundo. Ele é muito diferente: se você quiser executar seu serviço globalmente, isso é possível devido às unidades operacionais no mercado. A Samsung opera um terço das TVs conectadas ativas no mercado. Essa é uma mudança dramática.

Usando o anúncio do iTunes como um exemplo, se uma empresa como a Apple quer expandir os serviços para a sala de estar, trabalhando com a Samsung, ela pode, teoricamente, entrar em 1/3 das casas do mundo. Não é apenas a Apple, se os provedores de conteúdo quiserem expandir seus serviços em escala, precisam usar as TVs e a Samsung é um parceiro essencial nesse espaço. Quando alguém está lançando um novo serviço, somos o parceiro que lhes vêm à mente. A Apple ter escolhido nossos serviços diz muito sobre o nosso potencial.

EXAME: Mundialmente, o que os consumidores da Samsung gostam mais nas TVs da marca?

Won Jin Lee: A Samsung é líder no setor de TVs há mais de 13 anos. Existem várias razões para o consumidor amar a TV Samsung, como a melhor experiência de visualização, recursos inteligentes, design e etc. A Samsung desenvolveu sua experiência com a Smart TV para criar uma experiência de conteúdo integrada, proveniente de várias fontes. Com o One Remote, você não precisa alternar entre os controles remotos para controlar outros dispositivos conectados à TV. A interface do usuário inicial fornece um atalho para o aplicativo com visualizações diretas de conteúdo, permitindo que você comece a consumir conteúdo instantaneamente; há, por fim, o Universal Guide é nosso serviço de descoberta de conteúdo com base em suas assinaturas e conteúdo favorito.

EXAME: Há algum plano de o sistema Tizen ser usado em TVs de outras marcas?

Won Jin Lee: É muito cedo para compartilhar, mas nossa política é que estamos abertos em termos de com quem trabalhamos em serviços e estamos abertos para levar o Tizen para outros fabricantes.