Para a TIM, decisão da Anatel é “desproporcional”

Empresa divulgou fato relevante no qual informa que recebeu "com bastante surpresa" a medida da Anatel, que bloqueou a venda de novas linhas em 19 estados

São Paulo – A TIM Participações divulgou nesta quinta-feira fato relevante no qual informa que recebeu “com bastante surpresa a medida tão extrema adotada pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações), que de forma desproporcional bloqueou a venda de novas linhas em 19 estados.

Segundo o comunicado, a decisão foi “aparentemente” baseada em dados e indicadores diferentes daqueles usualmente estabelecidos pela própria Anatel para acompanhar o desempenho da rede. “A medida apresentada levou em conta, por exemplo, a diferença porcentual em cada estado entre a pior operadora e a média das demais nas reclamações ao call center da Anatel, medição até então desconhecida e que não reflete necessariamente a qualidade da rede.”

A companhia diz ainda que se tornou em 2011 a segunda maior operadora de telefonia móvel do País, “como resultado de inovação, investimentos em rede e ampla aceitação dos seus serviços por seus clientes”. “A TIM é a única operadora hoje do mercado que vende seus aparelhos desbloqueados e sem multa de fidelização. Por isto, hoje o único elemento que mantém o cliente com a TIM é a satisfação com a operadora. Tal medida desproporcional da Anatel certamente afetará a competição no setor de telecomunicações no País”, acrescenta.

Conforme o fato relevante, para o Índice de Desempenho no Atendimento da Anatel (IDA), que mede volume e prazo de atendimento das reclamações na Anatel, “a TIM vem apresentando bons resultados”. “A companhia assumiu a vice-liderança no índice no primeiro trimestre de 2012, estando cada vez mais próximo do primeiro lugar, reflexo da grande redução na taxa de reclamações (-36%)”, diz a empresa. “Comparando com o mesmo período 2011, a TIM foi a única operadora a apresentar redução na taxa de reclamações e crescimento na pontuação do IDA.”

A TIM reafirma, no comunicado, que “está desenvolvendo um conjunto de projetos de infraestrutura para seguir prestando serviços inovadores aos clientes, suportando o crescimento e capturando as oportunidades que o mercado brasileiro oferece”.

De acordo com a operadora, o grande esforço do primeiro semestre de 2012 foi para os investimentos em infraestrutura de rede e a integração da rede móvel da TIM com a rede de fibra ótica da TIM Fiber. “Em 2013, a previsão é que 80% das maiores cidades brasileiras estejam com nossas antenas conectadas via fibra ótica. Esse investimento melhorará a qualidade de transmissão de voz e dados de forma significativa.”


A companhia informa também que vem trabalhando na modernização de equipamentos, dobrando a velocidade da infraestrutura de acesso à internet móvel para 42 Mbps (HSPA+, etapa intermediária entre 3G e 4G).

“Hoje, em São Paulo, por exemplo, mais de 50% dos sites já foram modernizados para operar com essa tecnologia, que será levada para as principais cidades”, diz.

“Nos últimos quatro anos, a companhia investiu cerca de R$ 3 bilhões ao ano na melhoria de sua capacidade e expansão de rede, com destaque para a Rede Metropolitana, Cobertura, Backbone e Wi-Fi. Diante do exposto, a TIM irá tomar todas as medidas necessárias para restabelecer o quanto antes a normalidade de suas atividades”, conclui.