Simulação de acidente químico gera pânico na Sibéria

Moradores da região de Tiumén, na Sibéria, viveram momentos de pânico nesta sexta-feira (4) após o anúncio de um acidente químico com 55 mortos que se tratava

Moradores da região de Tiumén, na Sibéria, viveram momentos de pânico nesta sexta-feira (4) após o anúncio de um acidente químico com 55 mortos que se tratava, na realidade, de uma simulação do ministério das Situações de Emergência.

O setor regional do ministério anunciou em seu site que um vazamento de cloro em uma reserva de água havia matado 55 pessoas e deixado 163 feridos.

A informação, que não mencionava em nenhum lugar que se tratava de um exercício, foi propagada imediatamente por vários meios de comunicação russos.

Segundo o comunicado oficial, uma nuvem tóxica se dirigia ao centro de Tiumén, uma cidade de 600.000 habitantes, capital de uma região de 3,5 milhões de habitantes na Sibéria Ocidental.

O ministério explicou pouco depois que se tratava de um exercício e que a situação descrita no primeiro comunicado era parte do roteiro deste exercício.

A redação em Tiumén do jornal popular Komsomolskaia Pravda indicou que havia sido recebido “muitas ligações telefônica por parte de pessoas assustadas que acreditavam que algo horrível estava acontecendo”.

“Depois de semelhante exercício e de seu roteiro, com 55 cadáveres imaginários, talvez tenhamos 55 cadáveres reais de vítimas de infartos”, ironizou em sua conta no Twitter o opositor russo Alexei Navalni.