Os melhores gadgets testados no INFOlab em novembro

Do mais barato ao mais caro: produtos testados têm preços entre 95 reais e 18.000 reais

São Paulo – Durante o mês de novembro, diversos gadgets passaram pelos testes do INFOlab. Alguns deles se destacaram positivamente, já outros, nem tanto. EXAME.com reuniu os melhores produtos testados no mês passado. Os preços dos aparelhos variam de 95 a 18.000 reais.

Xiaomi Mi Band – A pulseira fitness de 95 reais da Xiaomi é a mais barata do Brasil vendida por uma empresa de smartphones. Ela tem grande parte das funções presentes na SmartBand, da Sony, que sai por 400 reais.

O gadget monitora tanto os passos que você dá quando caminha ou corre, como a sua movimentação durante o sono. Ela também tem proteção contra água e poeira.

Se a bateria for um problema para você, a Mi Band é uma boa escolha de rastreador fitness. Com uma carga, ela funciona por 30 dias, enviando por Bluetooth os dados coletados para um smartphone Android ou iPhones. Confira o review completo da Mi Band.

D-Link DHP-W221AV Wireless N150 – Este repetidor da D-Link leva a sua internet para a casa toda. As paredes não são problema para ele, já que a retransmissão do sinal Wi-Fi acontece pela rede elétrica.

Se preferir, você pode também plugar um cabo no repetidor para conseguir mais estabilidade na conexão. O kit de extensão de Wi-Fi da D-Link sai por 300 reais. Confira o review completo do produto.

Samsung Gear S2 – O relógio inteligente da Samsung com sistema Tizen é o primeiro da marca a ter tela redonda. Com visual de relógio esportivo, o aparelho se conecta a smartphones com Android (não é restrito a dispositivos Samsung) e leva as notificações para o pulso do usuário.

O S-Health, o app de saúde da marca, mostra dados sobre a sua movimentação diária, em corridas ou caminhadas, e também inicia o medidor de batimentos cardíacos, que fica na parte de trás do smartwatch. A bateria dele dura até 2 dias de uso. Confira mais detalhes no review do Gear S2.

Samsung 65JS9000 – Essa TV da linha chamada SUHD tem tela curva de 65 com resolução 4K. A diferença dela para outros modelos com a mesma resolução é a tecnologia da tela. Em vez de ser LED ou Amoled, ela é feita com nanocristais, os chamados pontos quânticos – algo já visto no smartphone G4 da empresa concorrente, a LG.

A qualidade da imagem foi de impressionar e deve agradar até os telespectadores de olhos mais críticos. Outro recurso interessante é a presença do GameFly, um serviço de jogos na nuvem, por ora, com presença exclusiva nas TVs da Samsung com Tizen. O aparelho sai por 18.000 reais no Brasil. Confira mais detalhes sobre ele no nosso review.