O ônibus sem motorista já chegou a Singapura

Elétrico e autônomo, ônibus da Volvo pode ser carregado em até 6 minutos

*Houston — Com montadoras como a Tesla, a Ford e a Volkswagen constantemente falando sobre carros autônomos, pouco se fala sobre um serviço de transporte público muito popular no Brasil e no mundo: o ônibus. Nesta semana, a Volvo Buses, junto com a Universidade de Tecnologia de Nanyang, em Singapura, apresentou o seu primeiro ônibus autônomo, que utiliza sensores e um sistema baseado em inteligência artificial para guiar o veículo pelas ruas. Sua capacidade é para até 80 passageiros.

O Volvo 7900 Electric faz parte de um programa da universidade, que ligado à autoridade de transporte terrestre de Singapura. O projeto está em curso desde outubro de 2016 e visa tornar autônomos os meios de transporte urbanos.

O barulho do motor, comum em ônibus movidos a diesel, no existe nesse novo veículo por uma simples razão: ele é elétrico. Sem emissão de poluentes, o veículo, segundo a Volvo, precisa de 80% da energia necessária em um ônibus de igual tamanho movido a combustível.

Este primeiro ônibus já teve rodadas de testes do centro de excelência e pesquisa da Universidade de Tecnologia de Nanyang. Essa etapa de testes nas rotas fixas será realizada por dois veículos 7900 Electric. Primeiramente, eles transitarão dentro do campus para depois ser avaliado fora dos limites da universidade.

Para Hakan Agnevall, presidente da Volvo Buses, esse primeiro ônibus autônomo e elétrico do mundo é um marco na indústria. “A jornada em direção à condução totalmente autônoma é complexa”, afirmou Agnevall.

Com o carregador elétrico de HPC 300P da suíça ABB, o ônibus pode receber uma nova carga em um período de três a seis minutos. Com isso, é possível que ele tenha energia o suficiente para cumprir sua rota e recarregar no ponto final.Tarak Mehta, presidente da divisão de produtos de eletrificação da ABB, afirmou que a empresa está comprometida com inovações técnicas para viabilizar um futuro sustentável. “Estamos extremamente animados em colaborar com esse importante projeto que marca um passo positivo em direção à eletrificação do transporte público na região e em outros pontos do planeta” , disse Mehta.

Para se orientar pelas ruas, o ônibus conta com um sistema chamado Volvo Autonomous Research Platform, que utiliza uma série de sensores e um software de navegação em tempo real. Seria como um aplicativo de GPS guiando o seu carro, mas com precisão de um centímetro para não colidir com automóveis ou pedestres nem pegar a saída errada na estrada.

O sistema também é conectado a uma “unidade de gerenciamento inercial”, que funciona como um componente que atua como um giroscópio e um acelerômetro para medir a taxa lateral e angular do barramento. Isso melhora o sistema de navegação ao passar por terrenos irregulares e curvas fechadas, evitando solavancos desnecessários.

O projeto de Singapura junto com a Volvo e a universidade deve culminar em ônibus autônomos nas ruas em 2022. Ainda assim, inicialmente, eles vão rodar fora do horário de pico e em apenas três áreas residenciais da cidade.

*O jornalista viajou a Houston a convite da ABB