OMS desmente ter autorizado tratamento contra ebola na Libéria

Utilização de um tratamento novo em um determinado país depende de acordos entre as autoridades de saúde nacionais e os laboratórios que os produzem

A Organização Mundial da Saúde (OMS) desmentiu nesta terça-feira (12) que tenha autorizado o envio de um tratamento experimental à Libéria para lutar contra o surto de ebola, que causou 323 mortos e um total de 599 casos nesse país.

“A OMS não tem nenhuma responsabilidade no envio de tratamento algum aos países (afetados) porque não temos nenhum tratamento em reserva”, declarou a porta-voz da organização, Fadela Chaib.

O órgão esclareceu que a utilização de um tratamento novo em um determinado país depende de acordos entre as autoridades de saúde nacionais e os laboratórios que os produzem.