10 perguntas a Jimmy Wales, o fundador da Wikipedia

Jimmy Wales, o fundador da Wikipedia, conversou com a EXAME.com sobre censura, novas tecnologias, plataformas móveis e muito mais. Leia a entrevista a seguir

São Paulo – Amado pelos estudantes da era digital, Jimmy Wales, o fundador da Wikipedia, veio ao Brasil para fazer uma palestra no principal evento de tecnologia bancária do Brasil, a Ciab Febraban.

Durante a conferência, Wales falou sobre seu novo projeto, o The People’s Operator (TPO), uma operadora virtual de telefonia móvel. Segundo ele, o diferencial da empresa é que ela doa 10% do dinheiro pago pelo usuário para instituições de caridade. Além disso, 25% do lucro mensal do TPO é doado para uma boa causa.

Claro que Wales também falou sobre a Wikipedia na palestra. Um dos dados que mais chamou a atenção do público foi a informação de que 87% dos colaboradores voluntários que editam os artigos da Wikipedia são homens. “Nós consideramos isso um grande problema”, disse Wales no evento.

Ele acredita que as mulheres não participam da comunidade, pois a plataforma de edição é voltada para um público mais especializado. “As mulheres nunca foram incentivadas a trabalhar na área da tecnologia e da programação. Por isso, elas não se sentem preparadas para editar os artigos. Mas nós queremos mudar isso”, criticou Wales.

A EXAME.com, Wales falou sobre plataformas móveis, censura, desenvolvimento da tecnologia nos países em desenvolvimento e o futuro da Wikipedia e da internet. De acordo com ele, atualmente, o Wikipedia está disponível em 287 línguas e é o quinto site mais popular do mundo.

Confira abaixo a entrevista de Jimmy Wales a EXAME.com:

EXAME.com  A Wikipedia, criada em 2001, já é uma adolescente de 14 anos. Você sempre teve a certeza de que a Wikipedia seria um sucesso?

Jimmy Wales — Bom, eu sempre falo que eu sou uma pessoa patologicamente otimista. Eu sabia que poderia ser algo muito grande, mas nunca imaginaria que a Wikipedia seria o 5º site mais popular do mundo e lido mensalmente por mais de 500 milhões pessoas em todo o planeta.

EXAME.com Como a Wikipedia se adaptou aos smartphones e tablets?

Wales — Foi um desafio interessante para nós, pois se tornou uma área de crescimento intenso na Wikipedia. O nosso maior problema foi que, apesar de ser ótimo ler artigos da Wikipedia no smartphone, contribuir com informações (ser um voluntário) a partir do seu smartphone é complicado. É difícil escrever frases e textos longos em um dispositivo pequeno.

Esse é um desafio ainda maior em países em desenvolvimento, pois a maioria das pessoas está começando a utilizar a internet agora e o dispositivo mais utilizado é o smartphone. Assim, a experiência dessas pessoas com os dispositivos móveis é mais focada na leitura e não na produção dessas informações. No entanto, eu acredito que esse é um fenômeno temporário, pois as pessoas não vão parar de usar computadores.

EXAME.com  O número de leitores e voluntários aumentou desde o uso intenso dos celulares?

Wales — O número de leitores sempre está aumentando no mundo todo. No entanto, o número de voluntários está estável nos últimos anos (cresceu em alguns países e diminuiu em outros). Isso não é um problema para nós, pois nunca foi nosso objetivo ter uma quantidade enorme de voluntários. Nós queremos ter o mínimo de colaboradores para que a comunidade da Wikipedia continue saudável, feliz e bem informada.

EXAME.com  A maioria das escolas e universidades no Brasil rejeita o uso da Wikipedia para trabalhos acadêmicos. Qual é a sua opinião sobre isso?

Wales — Eu acho que existem dois lados. Nós da Wikipedia acreditamos que, se você está na universidade, você não deveria utilizar a Wikipedia como a fonte principal do seu trabalho. É simples: você está na universidade, você pode fazer muito mais do que isso.

Eu diria a mesma coisa se você utilizasse uma enciclopédia tradicional. Pois, pesquisar algo em uma enciclopédia para escrever um trabalho acadêmico é aceitável para uma criança de 12 anos. No entanto, uma vez que você não tem mais essa idade, você não deveria usar uma enciclopédia ou a Wikipedia dessa maneira.

EXAME.com — O que você diria aos professores que rejeitam a utilização da Wikipedia dentro da escola ou da universidade?

Wales — Eu diria para os professores que todos os estudantes estão usando a Wikipedia. Assim, o que nós deveríamos ensinar a esses alunos é como usar a Wikipedia e explicar quais são os pontos fortes, os pontos fracos, a maneira certa e a errada de utilizar o site.

EXAME.com  Qual é o futuro da Wikipedia?

Wales — O que vai melhorar e evoluir dentro da Wikipedia pode ser invisível para o público em geral. Um dos exemplos é o crescimento da Wikipedia em línguas menos conhecidas, como o Guarani. Existem, atualmente, 2.988 artigos na língua Guarani. Assim, se você fala português e inglês, você provavelmente não vai notar essa diferença.

Outro exemplo de mudança é o visual da ferramenta de edição da Wikipedia. Nós estamos trabalhando em um projeto para modernizar essa função para que pareça mais familiar para mais pessoas. Nós queremos diversificar a comunidade que edita e colabora com os artigos dentro da Wikipedia. Essa é nossa prioridade número um.

EXAME.com — Existe algum país que censura a Wikipedia? Como vocês lidam com isso?

Wales — Vários países em todo mundo censuram a Wikipedia em grande ou baixa escala. Normalmente, eles bloqueiam determinadas páginas em sua rede de internet e isso faz com que ninguém possa ler os artigos que estão nessas páginas.

Como nós lidamos com isso? Nós nunca cooperamos com a censura. Nós nunca fizemos isso e nunca iremos fazer. Segundo, nós pressionamos os governos que querem nos censurar para que eles não bloqueiem a Wikipedia. Nós tentamos conscientizar esses políticos sobre as questões relacionadas à censura ao redor do mundo. Nós fazemos o que podemos, pois o acesso à informação é um direito fundamental de qualquer ser humano e nós não podemos ficar de braços cruzados.

EXAME.com  Qual é a sua opinião sobre a evolução da tecnologia da informação em países em desenvolvimento, como o Brasil?

Wales — Nós estamos vivendo a diminuição dos preços de certas tecnologias, como os smartphones. Além disso, pessoas em todo o mundo estão experimentando uma banda larga cada vez mais rápida e de boa qualidade. Assim, os preços baixos e a boa qualidade da internet terão um grande impacto na distribuição de informações. Logo, todos os habitantes da Terra terão acesso à internet pelo smartphone, pois eles estão ficando cada vez mais baratos. Grandes exemplos disso podem ser vistos na África.

EXAME.com — Qual é a sua opinião sobre o Facebook Lite e outros apps que diminuíram o peso dos gráficos e dados de suas plataformas em dispositivos móveis para os países que não possuem uma internet rápida?

Wales — Muitos sites já fazem isso. Na Wikipedia, nós já diminuímos o download de dados pesados para plataformas móveis. O grande problema dos países em desenvolvimento é que os smartphones ficaram baratos, mas a banda larga ainda é muito lenta.

Nós queremos dar as informações básicas para essas pessoas que podem comprar smartphones e não possuem uma internet de qualidade. Para isso acontecer, nós fornecemos artigos e informações sem imagens, com imagens de baixa qualidade ou imagens que aparecem apenas se você clica em determinado lugar.

Além disso, nós criamos o Wikipedia Zero, um projeto que tem o objetivo de fornecer acesso à Wikipedia gratuitamente em telefones celulares, especialmente em mercados emergentes. Nós queremos reduzir as barreiras do acesso ao conhecimento livre e eliminar o custo do acesso a essa informação. Alguns países como a Índia, o Sri Lanka e a Jordânia já utilizam o Wikipedia Zero.

EXAME.com — Qual será o papel da tecnologia no desenvolvimento cultural, político e social do mundo?

Wales — Nós vivemos em um mundo em que a informação não tem barreiras, ou pelo menos não deveria ter. Eu acredito que a tecnologia é uma ferramenta muito poderosa para nós termos, algum dia, a paz mundial. Se você conhece e é amigo de pessoas que são de outros países, vai ser bem difícil para os líderes mundiais e os políticos lhe convencerem que nós devemos desumanizar ou matar essas pessoas. Assim, a possibilidade de conhecer indivíduos de todo o mundo é algo extremamente poderoso e eu estou otimista de que a tecnologia vai ajudar a trazer paz para o mundo.