Novos caminhos para o Android

Reunidos numa arena não muito distante da sede do Google, na Califórnia, programadores do mundo todo participaram ontem do primeiro dia do I/O, a conferência anual da empresa de tecnologia. As apresentações pavimentaram um novo caminho para o Android, sistema operacional usado em 81% dos smartphones do mundo, segundo a consultoria Gartner.

Entre as apresentações de novos aplicativos de mensagens — um deles muito similar ao WhatsApp, mas com inteligência artificial para reconhecimento de imagens e respostas prontas —, o Google demonstrou o Instant Apps, um recurso que deverá apagar a linha divisória entre sites móveis e aplicativos. Com o recurso, por exemplo, o usuário poderá tocar num link de vídeo e, em vez de ser redirecionado para o site, assistir ao conteúdo diretamente no app específico, mesmo não tendo o programa instalado no celular. Em resumo, é como se todos os aplicativos da Google Play (mais de 1,6 milhão) — desde que preparados para o novo recurso — estivessem instalados no smartphone do usuário. Além de agilidade, o Instant Apps pode trazer economia no consumo de espaço e no consumo da rede de dados.

Outra promessa anunciada até novembro é o projeto Daydream, uma plataforma de realidade virtual. A ideia é reunir vídeos, mapas, apps e jogos de experiência imersiva num portal que poderá ser acessado em novos celulares.

 O Instant Apps e o Daydream fazem parte de um pacote robusto de novidades para o Android N, a nova versão do sistema operacional que chegará também até o final do ano.

Esse conjunto pode, pela primeira vez, resolver uma estatística negativa para o Google: as novas versões do Android demoram a pegar. A versão atual tem apenas 7,5% de market share e a mais usada só atingiu o posto em março, ultrapassando ligeiramente uma versão de outubro de 2013. Os anúncios de ontem não deixaram apenas os desenvolvedores empolgados, mas também os fabricantes de celulares. Afinal, apenas serviços novos estimulam a troca por aparelhos mais modernos.