Novo carro de polícia da Ford é 1º híbrido para perseguições

A Ford anunciou seu novo carro com foco em forças policiais. Ele é o primeiro do mundo a aliar combustão com propulsão elétrica

São Paulo – No que depender da Ford, segurança pública será também amigável ao meio ambiente. A montadora americana mostrou hoje sua versão híbrida para carros de polícia. O novo Police Responder é o primeiro veículo com foco em forças policiais que usa motores elétricos, além daqueles de combustão. O carro é, de forma geral, um Ford Fusion com algumas modificações.

O Responder faz parte de um pacote de 13 veículos híbridos que a montadora vai anunciar até 2020. A empresa está investindo 4,5 bilhões de dólares em um plano de expansão de carros elétricos em seu portfólio. Nem mesmo veículos com foco em forças policiais ficaram de fora dessa ambição.

“Eletrificar nossa próxima geração de carros é o centro do nosso comprometimento inabalável com sustentabilidade”, afirma o presidente da Ford Joe Hinrichs em comunicado à imprensa.

A montadora afirma que, além de propulsão elétrica, o carro também conta com motor mais eficiente. A Ford promete economia anual de quase 4.000 dólares por carro. Para forças policiais de grandes cidades, com grandes frotas, a economia vira milionária.

O veículo usa o motor elétrico somente abaixo dos 95 km/h. Acima dessa velocidade, ele passa a usar motor a combustão. Ele é modificado para sobreviver a colisões na traseira de outros veículos até a 120 km/h.

Veja mais fotos do veículo abaixo.

Responder, carro híbrido da Ford para forças policiais

 (Ford/Divulgação)

Responder, carro híbrido da Ford para forças policiais

 (Ford/)

Responder, carro híbrido da Ford para forças policiais

 (Ford/Divulgação)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. A produção ainda é pequena, porém contratos importantes já foram fechados, como contrato de guarnecimento da brasileira Braskem
    para a Tetra Pak, líder mundial na produção de embalagens
    longa vida de papel. , tendo também seus próprios arrendamentos, eles comportavam como se fosse um
    da criação e http://www.oitatravel.com/yybbs/yybbs.cgi?list=thread