Netflix tem mais procura do que alternativas piratas, diz Google

E, sem saber a que assistir, internautas recorrem ao YouTube para saber mais sobre filmes

São Paulo – Um novo estudo do Google indica que a Netflix tem mais procura do que suas alternativas piratas, como torrents, aplicativos e sites de filmes e séries irregulares. O dado aparece na pesquisa anual da empresa sobre cinema.

A virada da Netflix aconteceu em novembro de 2016 e se mantém até hoje, segundo dados da ferramenta de análise de buscas Google Trends.

Netflix-piratas-google-

(Google Brasil/Divulgação)

O dado não denota que o Brasil não baixa mais filmes e séries pirateadas, mas sim que a Netflix, pela facilidade da oferta instantânea de conteúdos e exclusividades, responde bem à necessidade de acessar vídeos na internet.

“Não estamos baixando menos pirataria. O brasileiro ainda baixa muito na internet, mas isso mostra como a marca ficou relevante oferecendo conteúdo online”, afirmou Sérgio Tejido, líder de inteligência de mercado no Google Brasil.

Para Debora Bonazzi, diretora para a indústria de mídia e entretenimento do Google Brasil, o movimento à Netflix é semelhante ao que aconteceu com o surgimento do Spotify. “O acontecimento é interessante. Desde que começaram soluções de streaming, como Netflix e Spotify, elas se tornam alternativas à pirataria. A Suécia tinha muitos problemas com pirataria de músicas e a chegada do Spotify inverteu essa curva”, disse Bonazzi a EXAME.

A Netflix está disponível no Brasil desde 2011, mas o aumento nas buscas online foi expressivo entre os anos de 2013 e 2016: 284%.

As pessoas não sabem o que assistir

A oferta de filmes disponível aumenta a cada dia, seja no cinema ou em plataformas digitais, e os internautas recorrem à internet para escolher o que vão assistir. 65% das pessoas que responderam ao levantamento do Google disseram procurar na web sobre novos filmes, enquanto 35% pedem recomendações aos amigos. Ainda nesse ponto, 51% das buscas no YouTube são sobre conteúdo e, segundo relatório do Google, a plataforma de vídeos é também o principal buscador de conteúdos adicionais sobre filmes.

O trailer não é a única forma de divulgação de um filme, análises e conteúdos adicionais também são buscados. E conteúdo é o que não falta: o YouTube Brasil tem o equivalente a 12 mil anos de vídeos disponíveis só sobre cinema.

A publicidade online também ajuda a aumentar o interesse em ir ao cinema. O Google informa que a intenção de compra de ingresso aumenta, em média, 40% com campanhas de marketing executadas no YouTube.

De acordo com o Google Brasil, os canais de YouTube que falam sobre cinema tendem a ter cada vez mais procura nos próximos tempos. Em 2016, canais desse gênero tiveram crescimento de 221% em compartilhamentos, 133% em curtidas, 177% em inscritos e 117% em comentários, segundo o Google.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s