Netflix começa a oferecer serviços em Cuba

A Netflix se torna assim uma das primeiras empresas americanas a aproveitar a aproximação política entre Cuba e EUA, anunciada em dezembro

Washington – O gigante americano de distribuição de filmes e séries pela internet, Netflix, anunciou nesta segunda-feira que começará a oferecer o serviço em Cuba, “assim que o acesso à internet melhorar e for ampliada a disponibilidade de cartões de crédito e débito”.

“A partir de hoje, as pessoas de Cuba com conexões a internet e acesso a métodos de pagamento internacionais poderão assinar o Netflix e ver de maneira instantânea uma seleção de filmes e séries de televisão populares”, indicou a companhia.

A Netflix se torna assim uma das primeiras empresas americanas a aproveitar a aproximação política entre Cuba e EUA, anunciada em dezembro após 50 anos de relações congeladas.

O preço de assinatura mensal mínima será US$ 7,99, mesmo valor dos EUA.

Entre as medidas estipuladas pelos EUA e Cuba está a permissão para que companhias americanas de telecomunicações invistam na ilha caribenha no desenvolvimento de infraestrutura de internet e de aceitação do uso de cartões de crédito americanos em Cuba.

“Estamos encantados de finalmente ser capazes de oferecer Netflix ao povo de Cuba, conectando-os com histórias que todo o mundo desfruta”, acrescentou Reed Hastings, CEO da companhia.

Embora o anúncio ainda tenha um caráter fundamentalmente simbólico, dado o pouco acesso atual dos cubanos à internet de banda larga, Cuba se tornou assim o oitavo país latino-americano com acesso ao serviço de entretenimento.

Desde 2011, o Netflix está disponível em Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México, Paraguai e Uruguai.

O serviço possui mais de 57 milhões de assinantes em mais de 50 países em todo o mundo.