Napster reestreia no Brasil como serviço de streaming pago

O famigerado Napster está de volta. Mas dessa vez chega como mais uma opção de serviço de streaming de música pago no país

São Paulo – O famigerado Napster está de volta. Mas dessa vez chega como mais uma opção de serviço de streaming de música pago no país.

O Napster fará sua reestreia no Brasil substituindo o serviço Sonora, do Terra. (Veja tabela abaixo). O modelo de negócios será o mesmo utilizado nos países europeus desde junho deste ano, com a venda de acesso ilimitado à biblioteca musical do serviço. 

O serviço começará a funcionar no país a partir do dia 1º de novembro, após uma parceria na América Latina realizada entre a Telefonica Digital e a Rhapsody International, dona da marca Napster. 

O novo Napster oferecerá acesso ilimitado ao seu catálogo com mais de 10 milhões de músicas, que poderão ser acessadas em smartphones, tablets ou PCs. Também será possível salvar as músicas nos dispositivos e ouvi-las offline. 

Além das músicas, o serviço também trará notícias sobre bandas e cantores, biografias, curiosidade e interação entre os usuários. 

Segundo o Terra, a partir da data de estreia no país, todos os usuários do Sonora serão migrados automaticamente para o Napster. 

Napster – Fundado em 1999 por Shaw Fanning e Sean Parker, este último também cofundador do Facebook, o Napster foi vendido para o Rhapsody (empresa de serviços de streaming vinculada ao Best Buy) em outubro de 2011. 

O Napster estremeceu a indústria fonográfica ao lançar um serviço de compartilhamento de músicas no formato MP3, até então inexistente no mercado. Os arquivos eram trocados por meio de uma rede P2P, onde usuários conectados aparecem como servidores de arquivos.

Porém, após muitos processos por parte das gravadoras, o Napster saiu do ar pela primeira vez em 2001 e só voltou a funcionar em 2003, quando retornou oferecendo downloads de músicas em um formato legal e pago.

Em 2011, com a aquisição da Rhapsody, o Napster foi encerrado mais uma vez. Mas em junho de 2013 reestreou em 16 países da Europa como um serviço de streaming musical pago, mesmo modelo que será utilizado agora no Brasil, Argentina, Colômbia, Chile, Peru e México. 

Concorrentes – Além do estreante Napster, no Brasil há outras opções de serviços de streaming musical. Veja uma comparação entre os principais serviços disponíveis no país.

* O valor de R$ 8,90 para assinatura do Napster é válida somente para quem compra a opção por meio do site do Terra. Pelo site do Napster só há opção de pacote por R$ 14,90