Moto G Play é smartphone “baratinho” com boa duração de bateria

A bateria do Moto G Play aguentou por 9 horas o teste do INFOlab

logo-infolab

São Paulo — O Moto G Play é a terceira — e a mais simples — das versões já feitas do Moto G, o smartphone de maior sucesso da história da Lenovo.

O produto tem foco na boa autonomia de uso graças à sua bateria com capacidade de 2.800 mAh e ao processador Snapdragon 410 quad-core, aliado a 2 GB de memória RAM. Há suporte para dois chips de operadora e o armazenamento interno pode ser ampliado com um cartão microSD. Confira os detalhes do gadget no review a seguir.

Design

O Moto G Play não é muito diferente do Moto G4. Ele tem tampa traseira de plástico, que pode ser trocada para dar um novo visual ao produto. A bateria é removível e tem capacidade de 2.800 mAh.

A ergonomia é boa por conta da tela de 5 polegadas que aproveita bem a parte frontal. No entanto, os botões do produto são na tela e há um espaço relativamente grande na parte inferior, que poderia acomodar botões físicos, mas visivelmente acomoda somente um microfone.

As laterais do produto são pintadas de cinza, em uma tonalidade que lembra metal.

O display do Moto G Play tem resolução HD e oferece uma boa qualidade de imagem, com fidelidade de cores. Porém, vídeos em Full HD não poderão ser reproduzidos com qualidade máxima nesse smartphone.

Câmeras

A câmera principal do Moto G Play tem 8 MP com flash LED. Não é possível realizar ajustes manuais para a fotografia com o aplicativo padrão do smartphone. Ele permite apenas que liguemos o HDR, o flash ou o temporizador. Fora isso, podemos também ajustar a exposição da cena de maneira intuitiva, no ponto que marca o foco, como acontece nos demais produtos da linha Moto.

As fotos apresentaram qualidade razoável. Elas são boas o suficiente para publicar em redes sociais e fazer registros rápidos no dia a dia. Veja abaixo algumas imagens feitas com o Moto G Play.

A câmera frontal apresentou bons resultados sob luz natural. As fotos têm 5 MP e podem contar ou não com o modo de embelezamento. Veja abaixo uma foto com ele inativo e outra com ele ativo.

Bateria

A bateria do Moto G Play aguentou por 9 horas o teste do INFOlab. Esse tempo é bom especialmente por se tratar de um smartphone que custa abaixo da faixa de preço de mil reais.

Configuração

A configuração de hardware do Moto G Play não é de primeira linha. Ele tem o mesmo processador usado pela Lenovo no Moto G de terceira geração. Com isso, o produto está aquém da concorrência no quesito performance. Os 2 GB de memória RAM não chegam a reverter essa situação.

Para armazenamento de arquivos, fotos e aplicativos, o aparelho conta com memória interna de 16 GB e suporte para cartão microSD. Há também suporte para TV digital, no padrão 1-Seg, e para rádio FM.

Este produto comporta dois chips de operadoras, o que deve agradar quem tem mais de um número, seja para aproveitar promoções, seja para separar ligações da vida pessoal da profissional.

Vale notar que o Moto G Play não tem giroscópio, um sensor de movimentação que ficou popular por proporcionar a realidade aumentada usada no jogo Pokémon Go.

Confira a seguir os resultados dos testes de desempenho do Moto G Play, comparados aos do TP-Link Neffos C5 e do Vibe K5.

Sistema
O sistema Android Marshmallow do Moto G Play não apresenta novidades significativas. A interface bem próxima do Android puro, visto na linha Nexus, é muito similar à usada pela Lenovo no Moto G4.Algo que faz falta é o aplicativo Galeria, que permite fácil acesso offline às imagens capturadas pela câmera. A solução para isso é baixar apps na Google Play Store, como o Gerenciador de Arquivos.

Vale a pena?

O Moto G Play é um smartphone simples e indicado a pessoas que não passem o tempo todo usando aplicativos. Ele é ótimo para uso moderado, especialmente se você não quer gastar muito em um novo celular. Ele vale a pena, sim, exceto se você tiver um Moto G de terceira geração. Nesse caso, a diferença entre os produtos é bem pequena e o investimento não se justifica, salvo se o objetivo for uma mera substituição. Agora, ele é uma boa pedida para quem procura um companheiro para o dia todo e teve com último smartphone um produto muito básico, como um Galaxy S3 mini.
Atualização: uma versão prévia deste review informava que o produto tinha giroscópio. EXAME.com contatou a Lenovo, que esclareceu que o componente não está presente nesta versão do Moto G, apesar do funcionamento da realidade aumentada no jogo Pokémon Go. O texto foi alterado.Ficha técnicaAvaliação técnica

AnTuTu (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Moto G Play 28316
Neffos C5 32131
Vibe K5 33633
Vellamo (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Moto G Play 2028
Neffos C5 2598
Vibe K5 1993
Geekbench 3 (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Moto G Play 1386
Neffos C5 1811
Vibe K5 2848
Basemark OS II (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Moto G Play 574
Neffos C5 664
Vibe K5 836
Sistema Operacional Android Marshmallow (6.0)
Chipset Qualcomm Snapdragon 410
CPU Quad-core 1.2 GHz Cortex-A53
GPU Adreno 306
RAM 2 GB
Armazenamento 16 GB + microSD de até 128 GB
Conexões 4G, Bluetooth 4.1, Wi-Fi 802.11 b/g/n, Rádio FM, TV digital (1-seg)
Tela 5”HD (1.280 x 720p)
Peso 137 g
Bateria 2.800 mAh
Câmeras 8 MP e 5 MP
Prós Duração de bateria, suporte para dois chips e tela de 5 polegadas.
Contras Configuração de hardware ultrapassada.
Conclusão Smartphone muito básico para quem precisa gastar pouco.
Configuração 6.0
Usabilidade 7,5
Foto 8,0
Bateria 8,2
Design 8,0
Média 7.5
Preço R$ 899