Microsoft vai começar a matar o Windows 7 e o Office 2010

A Microsoft está prestes a encerrar o suporte regular a produtos como Office 2010 e Windows 7 – que é a versão mais usada do sistema operacional

São Paulo — Nos próximos seis meses, diversos produtos populares da Microsoft, como Windows 7 e Office 2010, vão começar a morrer. 

São produtos lançados quatro ou cinco anos atrás, que estão chegando ao fim de seu período de suporte regular, mas ainda são amplamente usados. 

O Windows 7, por exemplo, está presente em 51% dos computadores pessoais empregados para acesso à internet, segundo dados do site NetMarketShare. É, de longe, a edição do Windows mais popular.

A segunda edição do sistema mais usada é o vetusto Windows XP, de 2001, presente em 25% das máquinas. Windows 8 e 8.1 rodam em apenas 13% dos PCs, aponta o NetMarketShare.

Na prática, o fim do suporte regular significa que quem usa Windows 7 ou Office 2010 não vai mais receber atualizações que acrescentem novas funções a esses produtos.

Mas vai continuar recebendo correções de falhas de segurança por mais cinco anos, o período que a Microsoft chama de suporte estendido.

Depois desse período, o produto deixa de receber qualquer tipo de atenção da empresa. É o que acontece com o Windows XP desde abril deste ano, quando terminou o suporte estendido a essa edição do Windows.

No caso do Windows 7, as datas se aplicam tanto à versão original, lançada em 2009, como ao Windows 7 SP1, a edição com correções e melhoramentos liberada em 2011.

No site da Microsoft há uma lista de produtos que terão suporte encerrado nos próximos seis meses com as respectivas datas. Além do Windows 7 e do Office 2010, estão nela, por exemplo, Windows Server 2008 e Windows Phone 7.8.