Microsoft pede regulamentação da tecnologia de reconhecimento facial

Em maio, grupos defensores dos direitos civis dos EUA pediram à Amazon.com que deixasse de oferecer serviços de reconhecimento facial a governos

A Microsoft nesta sexta-feira pediu a regulamentação governamental da tecnologia de reconhecimento facial e por leis que regem seus usos aceitáveis.

“Acreditamos que o Congresso deve criar uma comissão de especialistas bipartidários para avaliar a melhor maneira de regulamentar o uso de tecnologia de reconhecimento facial nos Estados Unidos“, escreveu o presidente da Microsoft, Brad Smith, no site da empresa.

Em maio, os grupos defensores dos direitos civis dos EUA pediram à Amazon.com que deixasse de oferecer serviços de reconhecimento facial a governos, alertando que o software poderia ser usado para atacar imigrantes e pessoas negras de forma injusta.

Smith disse que enquanto a Microsoft aprecia os pedidos para que as empresas de tecnologia tomem decisões sobre o reconhecimento facial, é mais sensato pedir a um governo eleito para supervisionar a tecnologia.

“A tecnologia de reconhecimento facial levanta questões que vão ao coração das proteções fundamentais dos direitos humanos, como privacidade e liberdade de expressão”, escreveu ele.

 

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s