Microsoft anuncia solução de criptografia para Office 365 e novidades para desenvolvedores no TechEd

Anúncios se deram no TechEd North America, evento voltado para profissionais de TI e empresas realizado no Texas; além do Office 365, ganhou destaque o Visual Studio

A Microsoft iniciou nesta semana a edição 2014 do TechEd North America, evento voltado para profissionais de TI, desenvolvedores e empresas realizado em Houston, no Texas. E já na segunda-feira, fez os principais anúncios relacionados aos produtos voltados para esse público: o Office 365 terá um sistema de armazenamento criptografado, o SharePoint Online e o OneDrive for Business receberão um recurso de proteção contra perda de dados (DLP) e o Visual Studio 2013 ganhará o aguardado Update 2, entre outras novidades.

O primeiro item da lista é o mais próxima dos usuários finais, mas o recurso chegará antes, já em julho, aos clientes corporativos da MS. A tecnologia para cifrar os documentos recebeu o codinome Fort Knox, e tem como diferencial o fato de criar uma chave de criptografia para cada arquivo, e não para o disco como um todo. Ou seja, mesmo que um invasor consiga quebrar a segurança do serviço de armazenamento na nuvem, ainda terá que decifrar todo o conteúdo individualmente – o que, nas condições ideais, deve levar algum tempo.

Segundo o TheNextWeb, o sistema ainda distribui os arquivos de um cliente por vários servidores do Microsoft Azure, todos identificados de forma diferente. Dessa forma, os itens ficam espalhados por toda a nuvem da empresa, e mesmo o mapa fica criptografado, dificultando o trabalho de quem conseguir invadir os data centers. No entanto, não ficou muito claro quem ficará com as chaves de criptografia, um ponto decisivo quando falamos de privacidade e proteção de dados.

Em relação ao recurso de DLP, ele estará disponível a partir de junho em documentos guardados no SharePoint ou no OneDrive corporativo – que ainda ganhou uma reforma na interface. Aliás, a funcionalidade, apesar de estar relacionada à perda de dados, não é bem dedicada a criar backups. O foco está no vazamento de informações: ela impede que arquivos com informações sensíveis sejam compartilhados fora do ambiente da empresa.

Visual Studio 2013 e novidades para desenvolvedores – Além dos anúncios envolvendo a nuvem, a Microsoft lançou a versão final do Update 2 para o Visual Studio 2013. A atualização finalmente introduz o suporte ao TypeScript (extensão de JavaScript da MS) e traz o sistema que facilita a criação de aplicativos universais (Universal Apps) revelado na Build no mês passado.

Este última funcionalidade, como o nome sugere, permite que desenvolvedores criem apps para todas as plataformas da MS em um único projeto, o que deve agilizar o processo e, possivelmente, ajudar a ampliar a biblioteca de programas do Windows Phone. Três frameworks de UI são suportados para isso: XAML, HTML e DirectX. Além disso, dá para desenvolver em C#, JavaScript e C++.

A versão online do Visual Studio também foi lembrada no primeiro dia da TechEd: novas APIs foram adicionadas à aplicação, que passa a se integrar a alguns serviços de terceiros – AppHarbor, ClearBlade, eDev Tech, Flowdock e Zendesk são alguns dos parceiros.

Fora o Update 2 e os novos recursos finalizados do Visual Studio Online, a Microsoft ainda divulgou um preview do suporte do programa ao Apache Cordova. A plataforma de código aberto é utilizada por programadores e desenvolvedores para criar aplicativos híbridos, que rodam em Windows Phone, Android e iOS, usando HTML, CSS e JavaScript. Os projetos, segundo informou a empresa, “podem ser construídos, abertos e testados em uma variedade de aparelhos, emuladores de dispositivos e simuladores online”.

.NET Framework e ASP .NET – Por fim, alguns detalhes do .NET de próxima geração e do ASP.NET vNEXT foram dados pela empresa. No caso do primeiro framework, o objetivo da companhia é torná-lo mais ágil tanto em servidores quanto na nuvem. Para isso, segundo o TechCrunch, serão lançados runtimes otimizados para a web, que dispensarão ferramentas mais pesadas.

Já no caso do framework voltado para desenvolvimento web, a principal novidade será a possibilidade de escolher quais bibliotecas e pacotes serão usados no desenvolvimento dos aplicativos. É uma forma de deixá-los também mais leves, distanciando-os da situação atual – os apps precisam hoje usar a mesma versão do ASP.NET disponível em um computador, como lembra o TheNextWeb.

Aliás, outra novidade é a presença do Roslyn. O compilador open source permite que mudanças nas aplicações sejam visualizadas com uma simples atualização da página no navegador, dispensando uma nova compilação e deixando o desenvolvimento mais rápido.

O TechEd North America 2014 continua até o dia 15, a próxima quinta-feira. Mais detalhes relacionados a esses anúncios – ou a outros produtos – ainda podem ser revelados, e se quiser acompanhar as apresentações, clique aqui. Também dá para ver as últimas keynotes por aqui.