Mesmo com poucas novidades, novos iPads encantam os críticos

Os primeiros reviews do iPad Air 2 são categóricos: é o melhor tablet do mundo. Mas as mudanças não justificam uma nova compra para quem já tem um iPad Air

São Paulo – As primeira análises sobre os novos iPads, da Apple, foram publicadas hoje em sites especilizados americanos. As opiniões sobre o iPad Air 2 são muito favoráveis – apesar de ressaltarem que são poucas as novidades.

Já o iPad mini 3, que mudou muito pouco em relação ao modelo anterior, não foi recebido com tantos elogios. Separamos as opiniões mais interessantes para quem está pensando em trocar de tablet ou comprar o seu primeiro gadget do tipo. Veja a seguir.

iPad Air 2

Os reviews são elogiosos, mas sempre batem na mesma tecla: as melhorias não justificam a troca de um iPad Air por um iPad Air 2.

“O iPad Air 2, o topo de linha da empresa, é substancialmente mais rápido do que seu antecessor, que já era mais potente do que qualquer rival”, escreve Farhad Manjoo, no New York Times.

Ele ainda ressalta a chegada do Touch ID, o leitor de digitais da Apple, ao iPad Air 2 (ele também marca presença no iPad mini 3). Mesmo dizendo que o tablet é um ótimo gadget, Manjoo pergunta: “Você precisa de um tablet fantástico?”

Além do Touch ID, a Apple fez outras mudanças no iPad Air 2. Ele chega mais fino, com apenas 6,1 mm de espessura. Ele também ganhou um processador mais potente, o A8X. A última grande mudança foi na câmera, que passou de 5 MP para 8 MP.

Por outro lado, algumas mudanças não vieram. “Aqui está o que o iPad Air 2 não tem: uma tela com resolução ou tamanho maior, bateria de maior duração ou um preço mais baixo”, escreve Walt Mossberg, do Re/code.

“No geral, o novo modelo reforça minha visão de que o iPad é melhor tablet de tela grande, mas as últimas mudanças não são um salto tão grande”, escreve Mossberg.

Um ponto ressaltado pelas análises é que é difícil perceber se é um iPad Air ou a sua segunda versão que está em uso. A mudança no processador é relevante apenas para apps que demandam muito processamento gráfico. Fora de um jogo pesado, em atividades como navegar na internet ou ler uma revista, o processador anterior já trabalhava bem.

O resumo é: se você já tem um iPad Air, não vale a pena gastar dinheiro em um upgrade. Se você vem de modelos anteriores, a mudança é algo a se considerar.

“É importante lembrar que o modelo anterior, o iPad Air original, continua disponível por um preço mais baixo; para muitos, isso será algo melhor para o bolso”, escreve o site Cnet.

iPad Mini 3

Se as mudanças no iPad Air 2 foram elogiadas, o mesmo não acontece no iPad mini 3. A única mudança que aconteceu entre o modelo do ano passado e aquele anunciado na semana passada pela Apple é o acréscimo do leitor de impressões digitais Touch ID.

O processador continua sendo o A7 (a versão anterior, que fazia parte do iPad Air e do iPhone 5s). A câmera continua com seus 5 MP. Nem a espessura diminuiu, como aconteceu com o iPad Air 2.

A versão anterior continua disponível por 100 dólares a menos – o iPad mini 3 começa em 399 dólares e o mini 2 em 299 dólares. O comprador precisa se perguntar: o Touch ID vale 100 dólares (já que é a única diferença entre os dois modelos)?

A resposta simples e rápida é: não. Trocar um iPad mini 2 por um iPad mini 3 é algo fora de questão. Mas mesmo sem grandes mudanças, o iPad mini continua sendo um ótimo competidor no mercado.

“A Apple lançou um tablet com a câmera do ano passado, com a tela do ano passado, com tudo do ano passado. Ainda assim ele continua competitivo dentro do mercado de tablets com tela pequena”, escreve o site The Verge.

Os novos tablets da Apple não foram lançados no mercado brasileiro. Não se sabe ainda quais serão os preços dos dois gadgets. Após o anúncio, no entanto, a empresa já diminui os preços do primeiro iPad Air e do iPad mini 2 à venda no Brasil.

Com poucas diferenças entre os modelos que já estão aqui e aqueles que estão para chegar, pode ser uma boa ideia não esperar pelos novos gadgets (que chegarão com um preço mais elevado).