Depois de seis anos, mercado de PCs volta a crescer

Análises das consultorias IDC e Gartner apontam crescimento de até 4,7% nas vendas

São Paulo – Depois de seis anos de queda, o mercado mundial de PCs voltou a ter resultados positivos. Segundo pesquisas realizadas pelas consultorias IDC e Gartner, o comércio de computadores no mundo cresceu entre 1,5% e 4,7% durante o segundo trimestre de 2019 em relação ao mesmo período do ano passado.

De acordo com os estudos reportados pelo site Venture Beat, as vendas ficaram entre 63 milhões e 64,9 milhões de unidades no período. Para ambas as consultorias, o aumento nas vendas está relacionado a uma renovação de parque.

Isso significa que diversas empresas estão renovando seus equipamentos, principalmente por conta do fim do ciclo de suporte do Windows 7, previsto para janeiro de 2020. Assim, era de se esperar que o setor privado passasse a investir em novas máquinas e já com versões mais atualizadas do sistema operacional da Microsoft.

Outro ponto que pode ter contribuído para os bons resultados foi a própria reinvenção do setor graças a investimentos em novas tecnologias, como inteligência artificial e no suporte à rede de internet 5G.

Na disputa pelo mercado, quase a metade das vendas foi realizada por apenas duas empresas. Enquanto a chinesa Lenovo foi responsável por 25% do comércio global no período, a americana HP ficou com 22,3% e 23,7% da venda de computadores.

Apesar da disputa se mostrar acirrada, a situação não é das melhores para a fabricante dos Estados Unidos. Enquanto sua rival do oriente cresceu entre 15,9% e 18,2% nos últimos doze meses, o crescimento da companhia comandada pelo australiano Dion Weisler foi bem mais modesto, estando entre 2,6% e 3,2%.

Atrás da HP, outras americanas se destacaram no período. A Dell teve uma fatia de vendas estimada entre 16,9% e 17,9% no trimestre, enquanto a Apple ficou com 5,9% do mercado.

Na sequência estão duas empresas taiwanesas. A Acer foi responsável por 5,4% do comércio global, resultado 14,4% menor do que o registrado em 2018. Já a Asus, quinta colocada no ranking, vendeu 4,9% do total de computadores entre abril e junho, queda de 9,9% nos negócios.