Medidas anti-tabaco evitarão 13 milhões de mortes na China

A aplicação por parte da China de medidas de luta contra o tabagismo, recomendadas pela OMS, permitirá evitar pelo menos 13 milhões de mortes até 2050

Paris – A aplicação por parte da China de medidas de luta contra o tabagismo, recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS), permitirá evitar pelo menos 13 milhões de mortes até 2050, de acordo com estudo publicado no British Medical Journal (BMJ) nesta quarta-feira.

A China conta com cerca de 300 milhões de fumantes, ou seja, quase um terço do estimado em todo o mundo.

Atualmente, o cigarro mata mais de um milhão de pessoas por ano no gigante asiático – 939 mil homens e 79 mil mulheres.

Esse número pode triplicar até 2030, alertam especialistas de saúde chineses e estrangeiros.

Até agora, Pequim havia tomado muito poucas medidas para conter essa verdadeira epidemia, limitando-se a proibir que se fume nos transportes públicos.

Também se aumentou os impostos sobre o cigarro em 2009, mas a medida praticamente não teve repercussão entre os fumantes.

No estudo do BMJ, pesquisadores ocidentais afirmam que, se forem mantidas as condições atuais, milhões de pessoas podem morrer na China nas próximas três décadas e meia.

Se forem aplicadas as recomendações da OMS para a luta anti-tabaco, em vigor desde 2005, a situação pode melhorar sensivelmente.

Taxar o maço de cigarro em 75% pode evitar na China, por exemplo, 3,5 milhões de mortes até 2050.