Massacre da Samsung pela Apple chega a Star Trek

Um bem humorado vídeo com a turma de Jornada das Estrelas brinca com a vitória da Apple contra a Samsung na justiça americana

São Paulo — Num futuro distante, a nave Enterprise segue sua jornada a serviço da Federação Estrelar. Uma espaçonave inimiga se aproxima em posição de ataque. É hora de ligar os escudos de raios. Mas a ordem do capitão Jean-Luc Picard não pode ser cumprida. A tela sensível ao toque no painel da Enterprise foi desabilitada porque viola patentes da Apple.

É assim que começa o divertido vídeo criado pelo humorista Ben Dickson com base em cenas da série televisiva Star Trek: The Next Generation. Nele, a vitória da Apple contra a Samsung na justiça americana, na semana passada, trouxe consequências terríveis para a tripulação da Enterprise.

O tenente Data, o androide que integra a tripulação, não pode mais falar. Sua voz foi desabilitada porque foi considerada parecida demais com a da Siri, a assistente de voz do iPhone. E o alarme de emergência não funciona porque aquele ringtone pertence à Apple.

A brincadeira de Ben Dickson ecoa a impressão, que muitas pessoas têm, de que a Apple foi longe demais com suas patentes. A empresa está defendendo suas criações e seus investimentos em pesquisa. Na visão de Tim Cook e sua turma, outros fabricantes, como a Samsung, roubam as ideias elaboradas em Cupertino e ganham dinheiro com o trabalho dos engenheiros da Apple.

Mas as patentes podem impedir outros fabricantes de smartphones de usar coisas tão básicas como o gesto de abrir os dedos em pinça para ampliar uma imagem. São coisas que, na visão de muitas pessoas, não deveriam ser patenteáveis. Por causa disso, a decisão do júri da Califórnia a favor da Apple é polêmica. Veja o vídeo (em inglês) a seguir.